Transporte fluvial faz-se com todos os trabalhadores

Anteontem, 4, estiveram reunidos os sindicatos filiados na Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações/CGTP-IN, que representam os trabalhadores da Transtejo e da Soflusa, empresas que padecem de graves problemas estruturais, fruto de sucessivos anos de desinvestimento e redução de trabalhadores.

Na passada sexta-feira, 31 de Maio, o Governo apenas negociou com os sindicatos a reivindicação salarial dos mestres da Soflusa, excluindo «a esmagadora maioria dos trabalhadores, o que, por si só, criou novos conflitos laborais», identificou a Fectrans.

A Federação reclama, do Executivo PS e da administração da Transtejo/Soflusa, que seja retomado, de imediato, o processo de negociação com as reivindicações das restantes categorias: marinheiros, maquinistas, comerciais, oficiais e outras. A criação de mais uma diuturnidade e a aplicação no novo regulamento de carreiras são algumas das reivindicações.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: