O PCP continuará a intervir em prol do concelho
CDU aumenta votação em Castro Marim

REFORÇO Apesar de ter aumentado a votação relativamente a 2017, a CDU não logrou a eleição de um vereador nas eleições intercalares para a Câmara Municipal de Castro Marim, realizadas no domingo, 2.

Não obstante, «é neste quadro que o PCP reafirma a sua inteira disponibilidade para continuar a intervir para a resolução de problemas» como a perda de «população, actividade produtiva e serviços públicos». Até porque, «ao contrário do que foi prometido, o desfecho destas eleições não envolverá a mudança de políticas de que Castro Marim precisa», afirma, em comunicado divulgado ontem, a Comissão Concelhia do PCP.

Os comunistas castromarinenses sublinham, ainda, que o sufrágio antecipado ocorreu «na sequência de longos meses de um ambiente de guerrilha entre eleitos do PSD e do PS com elevados prejuízos para o funcionamento da autarquia e para as condições de vida das populações», pelo que não é de estranhar que as eleições tenham sido «contaminadas por um ambiente de chantagem eleitoral», no qual o PSD foi a força mais votada, assumindo com três eleitos a presidência do município. O PS ficou com 2 eleitos e averbou uma significativa perda de votação.

Neste contexto, «o PCP saúda todos os que, num quadro de extrema bipolarização, deram a sua confiança e o seu voto à CDU, na certeza de que os mesmos serão transformados em acção e luta». Salienta, também, que tendo a CDU percorrido «todas as freguesias do concelho, os principais locais de trabalho, as escolas, serviços públicos e outras instituições, dando a conhecer o seu projecto alternativo para Castro Marim», esse é um trabalho que «dará os seus frutos no futuro», conclui-se ainda na nota da Comissão Concelhia de Castro Marim do PCP.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: