c. 59 a.C. – Nasce Titus Livius

O historiador romano Tito Lívio integra, a par do seu homólogo grego Heródoto, a galeria dos grandes historiadores da Antiguidade. Nascido em Patavium (actual cidade italiana de Pádua), em 59 a.C., estudou retórica e filosofia, e cedo se distinguiu como escritor. Já em Roma, granjeou a simpatia do imperador Augusto, o que lhe valeu o lugar de preceptor do jovem Cláudio, futuro imperador. A sua principal obra é Ab Urbe condita libri (Desde a Fundação da Cidade), uma história de Roma desde a sua fundação, cerca de 753 a.C., até à morte do imperador Nero Cláudio Druso (9 a.C.). Composta por 142 livros, a obra é uma das principais fontes históricas para o estudo da Roma Antiga (Monarquia, República e fase inicial do Império). Maquiavel, em Comentários sobre a primeira década de Tito Lívio, uma digressão sobre os dez primeiros livros, afirma que «os que estudarem o que foi o início de Roma, os seus legisladores e a ordem pública que instituíram não se espantarão de saber que tantas virtudes tenham sido ali cultivadas durante séculos, e que aquela cidade se tenha tornado centro de imenso império». Da obra só restam 35 livros. O conteúdo dos volumes perdidos é conhecido pelos sumários produzidos a partir do século I d.C. como forma de obstar à grande extensão da obra.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: