Face à seca extrema, PCP pede medidas para apoiar agricultores

Miguel Viegas, deputado do PCP no Parlamento Europeu, apresentou no dia 4 uma pergunta escrita à Comissão Europeia sobre criação de linha de apoio de emergência aos agricultores face à seca extrema.

Lembrou o deputado comunista que no final do mês de Março, em Portugal continental confirmaram-se as piores previsões: seca meteorológica. Na sequência dos baixos valores de precipitação, houve um aumento quer na classe severa, quer na extrema. Segunda a Divisão de Clima e Alterações Climáticas do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), até 28 de Março aumentou a área em seca severa, situando-se nos 37,5%, quando em Fevereiro era 4,8%. Entretanto, já começa a aparecer seca extrema no Algarve, entre Faro e Vila Real de Santo António.

De acordo com as associações de agricultores, a falta de água já está a reflectir-se no rendimento dos produtores e, devido à redução do pasto, está a gerar necessidades de compra de rações e alimentos grosseiros, como complementos e outros substratos.

Considerando que «configura-se um ano agrícola com grande carência de precipitação», o deputado do PCP perguntou à Comissão Europeia «qual a avaliação que faz desta situação, designadamente nos países do sul da União Europeia, e se equaciona a criação de uma linha de emergência para apoiar os agricultores vítimas de situações de seca extrema».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: