João Ferreira lembra que cada voto na CDU conta

Depois de ter contactado com trabalhadores à porta da fábrica da PSA em Mangualde, e de ter visitado a Cooperativa Agrícola do Távora, em Moimenta da Beira, no passado dia 1 de Abril, João Ferreira terminou aquela jornada de pré-campanha das eleições para o Parlamento Europeu (PE) no distrito de Vila Real.

A seguir a um contacto com comerciantes no Peso da Régua, o cabeça-de-lista do PCP-PEV interveio numa sessão pública onde a defesa da soberania nacional, o desenvolvimento regional e os constrangimentos e enganos impostos pela UE e pelos seus acólitos estiveram em destaque.

Numa terra onde a produção agro-pecuária tem raízes, João Ferreira dedicou particular atenção à desmistificação das promessas com as quais a integração capitalista na UE foi promovida em Portugal. Notando, nesse âmbito, que ao contrário de produzirmos para um mercado potencial de 300 milhões de consumidores, como nas últimas duas a três décadas se disse, a vida veio mostrar que a Política Agrícola Comum fez desaparecer no nosso país meio milhão de hectares de superfície agrícola útil, ao ritmo de 41 pequenas e médias explorações encerradas nos últimos 20 anos.

Em consequência, e porque semelhante cenário destruidor foi observado nas pescas, Portugal é hoje um país com um défice agro-alimentar que ronda os três mil milhões de euros por ano, precisou.

João Ferreira aproveitou ainda a ocasião para sublinhar os presentes na sessão que esta é a hora de ir para a rua dar conta do trabalho da CDU no PE e das propostas de ruptura. Nesse sentido, considerou que não contando a plataforma eleitoral que une comunistas, ecologistas e os outros democratas, da cobertura mediática dada às demais candidaturas, impõe-se a construção a pulso de um grande resultado. Voto a voto, numa ampla e audaz iniciativa de esclarecimento e convencimento porque todos os votos contam, em Lisboa como em Vila Real.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: