Jerónimo de Sousa no debate quinzenal com o primeiro-ministro
Preocupação com atraso nas pensões

António Costa informou que até Junho será reposta a normalidade e ultrapassado todo o atraso no processamento das pensões. A garantia foi dada a Jerónimo de Sousa depois de este o confrontar com esse atraso na atribuição das pensões e reformas, que tem vindo a gerar muita preocupação entre as pessoas afectadas.

«Casais que perderam o fundo de desemprego devido ao limite de tempo, recorreram à sua pensão ou à sua reforma e isso não está a acontecer. Imagine, senhor primeiro-ministro, porque imaginará, o drama dessas pessoas que fazem estes apelos dramáticos à AR, particularmente ao Governo», afirmou o Secretário-geral do PCP, veiculando os relatos que lhe têm chegado de um número crescente de portugueses e que em sua opinião justificam a «preocupação de fundo» que há sobre esta matéria.

Igual garantia de que «está tudo normalizado» foi ainda dada pelo chefe do Governo no que toca ao pagamento dos abonos de família. «Estão a ser pagos desde Março com efeitos retroactivos a Janeiro», indicou, asseverando sem mais pormenores que «continuarão a ser pagos».

Que há pagamentos que estão a ser feitos, isso já se sabia e não é novidade. O que ficou por esclarecer – e nesse sentido foi a pergunta que lhe dirigiu Jerónimo de Sousa, que estranhou tamanho atraso – é se estão a ser abrangidas todas as crianças e qual a razão para ainda não ter sido publicada a portaria relativa a este aumento do abono quer para as crianças até aos três anos, quer para as grávidas através do abono pré-natal, em montantes que são muito significativos.

Esta é uma medida de grande alcance que, recorde-se, consta do Orçamento do Estado em resultado de uma proposta do PCP.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: