Breves
ÉVORA Trabalhadores das pedreiras têm mais para conquistar

O PCP promoveu no dia 29 de Março, em Bencatel (Vila Viçosa) mais uma iniciativa dirigida aos trabalhadores da extracção e transformação de mármores, que encheram por completo o salão da sociedade recreativa local. Presente esteve João Oliveira, da Comissão Política e deputado eleito pelo círculo eleitoral de Évora, que acentuou o papel decisivo da luta dos trabalhadores e da acção do PCP para que tivesse sido possível alcançar o direito à reforma antecipada para estes trabalhadores. O dirigente comunista sublinhou ainda a necessidade de prosseguir a luta para que se ponha fim às penalizações ainda existentes.


LEIRIA Destruição de espaço verde preocupa

A Comissão Concelhia de Leiria do PCP discorda da destruição de um espaço verde de 2500 metros quadrados, com relvado e árvores, junto ao rio e às piscinas municipais, e está a pressionar a Câmara Municipal para que se explique. Num comunicado emitido no dia 29, os comunistas realçam que as respostas da autarquia às questões levantadas pelo grupo municipal do PCP confirmam o «pior cenário»: para o Partido, a «destruição desta zona verde do POLIS, ao arrepio das necessidades dos cidadãos e da melhoria do ambiente urbano, para construção de espaços de estacionamento não colhe», desde logo porque a autarquia assumiu um conjunto de medidas que o agravam ao invés de o resolver. As outras justificações demonstram «insensatez» e uma «gritante falta de planeamento e de visão a médio e longo prazo». Leiria precisa, sim, de «mais zonas verdes públicas», requalificação urbana em larga escala e mobilidade na cidade, com o reforço acentuado dos transportes públicos colectivos de passageiros.


LISBOA Assembleia Municipal condena anexação dos Montes Golã

Por proposta do PCP foi aprovado na sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Lisboa, realizada a 2 de Abril, um voto de condenação pela anexação dos Montes Golã sírios por Israel. PSD, CDS, MPT e o deputado independente Rodrigo Mello Gonçalves votaram contra, enquanto que o PAN e outros dois deputados não filiados abstiveram-se. No texto recorda-se que a região foi ocupada em 1967 e unilateralmente anexada em 1981. Os Montes Golã são reconhecidos internacionalmente como território sírio «sob ocupação e administração de Israel». A resolução 497 das Nações Unidas condena a anexação e determina que a jurisdição e administração israelitas sobre a região são nulas e «sem efeito jurídico internacional».