Resposta firme na Fico Cables

Com elevados níveis de adesão, semelhantes aos verificados nos dias 16 e 23 de Novembro, os trabalhadores da Fico Cables fizeram greve no dia 3, segunda-feira, durante duas horas por turno. De tarde, voltaram a concentrar-se à porta da fábrica de cablagens da multinacional Ficosa, na Maia.

Este foi o primeiro dos quatro dias de greves decididos para este mês, «perante a posição de inflexibilidade manifestada pela administração na última reunião, a 22 de Novembro, recusando resolver as legítimas reivindicações apresentadas», como o SITE Norte tinha explicado, ao anunciar a luta. O sindicato da Fiequimetal/CGTP-IN convocou greves, nos mesmos moldes, para dias 7, 10 e 14, mantendo-se durante todo o mês a recusa de trabalho suplementar.

Junto do piquete, onde as mulheres eram claramente maioritárias, como sucede na empresa e na generalidade do sector, estiveram Diana Ferreira e Ângela Moreira, deputadas do PCP, que reafirmaram a solidariedade do Partido à luta em defesa do caderno reivindicativo, contra a discriminação salarial e por aumentos salariais justos.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: