Salientam-se as tarefas e orientações para o reforço da intervenção
Concelhia do Seixal do PCP sai mais forte da Assembleia

PARTIDO Os comunistas do Seixal reuniram a sua 12.ª Assembleia da Organização Concelhia (AOC), onde sobressaiu um colectivo pronto para os desafios do presente e com os olhos no futuro.

A reunião magna da organização do PCP no concelho do Seixal decorreu durante todo o dia de domingo, 2, na União Seixalense, com a presença de delegados de todas as estruturas partidárias (por local de residência, empresas e locais de trabalho), num total de 240, culminando um intenso trabalho colectivo de preparação e debate.

Deste e da discussão e reflexão desenvolvidas na 12.ª AOC, resultou a eleição, por unanimidade, da nova Comissão Concelhia (CC), bem como a aprovação, também sem votos contra ou abstenções, da resolução política, intitulada «Com os trabalhadores – mais PCP, melhor futuro».

O novo órgão dirigente do Partido no Seixal é composto por 47 militantes comunistas, sendo que 12 integram a CC pela primeira vez. De entre os eleitos, mais de 55 por cento são operários ou empregados, 21 por cento são quadros técnicos, 17 por cento são intelectuais e 6,3 por cento enquadram-se noutros sectores sociais.

A média etária da Comissão Concelhia ronda os 53 anos e as mulheres representam 36 por cento do organismo.

Quanto à resolução política, além de proceder a uma análise detalhada sobre a situação política local e nacional e respectivos desafios, procedendo mesmo à identificação de exigências que se pretendem ver cumpridas pela Administração Central no concelho, nela se salientam as tarefas e orientações para o reforço da intervenção do PCP, para o seu fortalecimento orgânico e organizativo e o aumento da sua influência a vários níveis.

De entre as medidas que todos aprovaram, assegurando, dessa forma, um firme compromisso no seu cumprimento, destacam-se a concretização, até ao final deste ano, do contacto com todos os membros do Partido visando a elevação da militância; assumir como prioridade o recrutamento de trabalhadores, jovens e mulheres que se destaquem na luta, nos movimentos unitários de massas e nas empresas indicadas como prioritárias; o enquadramento e organização dos comunistas com intervenção no movimento associativo e popular, entre camadas específicas como os reformados ou os micro, pequenos e médios empresários; o envolvimento dos amigos do Partido e dos independentes que concorreram nas listas da CDU; realizar assembleias de base em todas as organizações e avançar no reforço financeiro; discutir e implementar medidas de valorização e difusão da imprensa do Partido e de observação do princípio de que nenhum militante pode ser beneficiado ou prejudicado pelo exercício de cargos públicos; garantir a afirmação do projecto, das propostas e do prestígio do PCP e do seu património ímpar ao nível autárquico no Seixal.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: