Mais pobreza na população rural da América Latina, denuncia FAO

Quase metade da população rural na América Latina e Caraíbas é pobre, revelou em Buenos Aires o representante regional da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). «Pela primeira vez em 10 anos a pobreza rural volta a aumentar na nossa região, atingindo 59 milhões de pessoas», sublinhou Julio Berdegué, na apresentação de um documento da FAO sobre o tema.

O documento «Panorama da Pobreza Rural na América Latina e Caraíbas» alerta para um retrocesso na diminuição da pobreza rural na região, pobreza que atingiu mais dois milhões de pessoas entre 2014 e 2016. A última vez que a região sofreu uma regressão desta amplitude em matéria de pobreza rural tinha sido pelos efeitos da crise financeira mundial de 2008.

«Não podemos tolerar que um em cada dois habitantes rurais seja pobre e um em cada cinco seja indigente», disse o responsável da FAO. «Pior ainda, sofremos uma reversão histórica, uma quebra que torna patente que estamos a esquecer-nos do campo», enfatizou.

A migração a partir dos campos está ligada a territórios dizimados pela pobreza, insegurança e vulnerabilidade climática. Segundo a FAO, eliminar a pobreza rural é a chave para enfrentar as economias ilegais, o corte de bosques e a exploração mineira ilegal, que têm vindo a ganhar espaço e aumentam a insegurança nos territórios rurais.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: