Breves
São Tomé e Príncipe com novo governo

Na sequência das eleições legislativas de 7 de Outubro, o presidente de São Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, empossou na segunda-feira, 3, o novo primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, líder do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe-Partido Social Democrata (MLSTP-PSD). Tomaram também posse os membros do XVII governo constitucional, que integra 12 ministérios e duas secretarias de Estado. O governo assenta numa coligação de forças políticas com maioria no parlamento. O novo chefe do governo santomense prometeu servir o seu país e o progresso social do povo.


Papa recebeu líder da Palestina

O Papa Francisco recebeu no Vaticano o presidente palestiniano, Mahmoud Abbas, com quem manteve conversações, cordiais, durante as quais foram destacadas as boas relações entre a Santa Sé e a Palestina. Ambas as partes abordaram os esforços para reactivar o processo de paz entre palestinianos e israelitas visando alcançar uma solução de dois estados. Nas conversações, foi dada atenção especial ao estatuto de Jerusalém, tendo sido destacada a importância de «preservar a identidade e o valor universal da Cidade Santa» para o cristianismo, o islamismo e o judaísmo.


Venezuela rejeita ingerência dos EUA

A Venezuela qualificou de claras agressões à soberania nacional as recentes declarações do secretário de Defesa estado-unidense, James Mattis, e do secretário de Estado, Mike Pompeo, sobre o país sul-americano. Um comunicado do ministério venezuelano dos Negócios Estrangeiros denuncia o crescente intervencionismo de Washington para desestabilizar a Venezuela. Mattis chamou «déspota» ao presidente Nicolás Maduro e Pompeo, no âmbito da Cimeira G 20, em Buenos Aires, e apelou aos países latino-americanos a unir-se aos EUA para «restaurar a democracia na Venezuela». O governo de Caracas reiterou que «a Venezuela não se deixará amedrontar pelo poderio e a arrogância estado-unidenses».


Economia mundial desacelera em 2019

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) alertou para uma desaceleração do crescimento económico em 2019 e instou os países a preparar-se para tempos difíceis. No seu relatório semestral, divulgado na sede em Paris, a OCDE reviu em baixa o crescimento no próximo ano para 3,5%, menos quatro décimas do que o prognóstico feito em Junho. Para 2018, manteve a previsão de crescimento de 3,7%. Entre os factores que justificam o pessimismo estão as tensões comerciais mundiais, a subida dos preços do petróleo e a incerteza que envolve o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.


ANC prepara-se para eleições gerais

O Congresso Nacional Africano (ANC) vai centrar as comemorações do 107.º aniversário, a 6 de Janeiro, na divulgação do manifesto e programa para as eleições presidenciais e legislativas de 2019 na África do Sul. O chefe da comissão eleitoral do partido, Fikile Mbalula, anunciou em Pretória que o ANC realiza o acto central dos 107 anos no estádio Moses Mabhida, em Durban, em KwaZulu Natal, a 12 de Janeiro, com a participação do presidente Cyril Ramaphosa. O ANC, aliado ao Partido Comunista Sul-Africano e à central sindical Cosatu, governa a África do Sul desde 1994.


Dramática situação dos líderes sociais

O relator especial da ONU para os Direitos Humanos, Michel Forst, disse em Bogotá que a situação dos líderes sociais na Colômbia, que receiam ser assassinados, é dramática e grave. Após uma viagem de 10 dias por diferentes regiões do país, Forst entregou ao governo colombiano um diagnóstico da sua missão e deixou recomendações no sentido de garantir a integridade física dos defensores dos direitos humanos. O alto representante das Nações Unidas assinalou que enquanto na Colômbia há uma diminuição geral de homicídios, no caso dos líderes sociais ocorre o contrário.