- Edição Nº2345  -  8-11-2018

Nações Unidas exigem fim do bloqueio a Cuba

DERROTA Pela 27.ª vez seguida, a Assembleia Geral da ONU exigiu o levantamento do bloqueio norte-americano contra Cuba. Votaram pelo fim do cerco 189 países, com a oposição apenas dos EUA e de Israel.

A Assembleia Geral das Nações Unidas adoptou no dia 1, com apoio de 189 dos seus membros, uma resolução que exige o fim do bloqueio económico, comercial e financeiro pelos EUA contra Cuba.

Só os EUA e Israel votaram contra o levantamento do bloqueio e não houve abstenções.

Pelo 27.ª ano consecutivo, desde 1972, a comunidade internacional pediu na ONU o levantamento do cerco imposto por Washington à ilha há mais de meio século.

A votação foi marcada por pressões dos EUA para desacreditar Cuba, ao apresentar oito projectos de emendas que não obtiveram o apoio dos estados membros da ONU.

Muitos diplomatas discursaram exigindo o fim do bloqueio e denunciaram o seu impacto no desenvolvimento sócio-económico de Cuba. Realçaram que o bloqueio é uma violação dos direitos humanos de todo o povo cubano.

O ministro cubano dos Negócios Estrangeiros, Bruno Rodríguez, disse que o governo dos Estados Unidos não tem a menor autoridade moral para criticar Cuba em matéria de direitos humanos.

Em Miami, o conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, John Bolton, anunciou que Washington vai ampliar a lista de entidades cubanas com quem os cidadãos norte-americanos estão proibidos de realizar transacções. Revelou que o presidente Trump decidiu também impor novas sanções contra a Venezuela, acusada por Washington de fazer parte, ao lado de Cuba e da Nicarágua, de uma «troika da tirania» na América Latina.