1944 – A Grande Transformação, de Polanyi

«A Grande Transformação. As origens políticas e económicas do nosso tempo» é a principal obra de Karl Paul Polanyi (1886 – 1964), filósofo, historiador, sociólogo e economista político húngaro, sobre o fenómeno da passagem da economia de mercado a uma sociedade puramente de mercado. Tudo se transforma em mercadoria, constata Polanyi, tal como Karl Marx já previa em A Miséria da Filosofia (1848), referindo-se ao tempo em que princípios como a verdade e a consciência seriam postos no mercado, o «tempo da grande corrupção e da venalidade universal». Joseph Stiglitz, prémio Nobel de Economia em 2001, lembra no prólogo da última edição da obra que esta foi escrita antes de os economistas modernos terem reconhecido as limitações dos mercados autorregulados. «Hoje em dia, não há apoio intelectual razoável para a proposição de que os mercados, por si mesmos, geram resultados eficientes, muito menos equitativos». O que a experiência histórica mostra é que o «crescimento pode gerar um aumento da pobreza». Para Polanyi, sob a economia de mercado, a liberdade degenera numa «mera defesa da liberdade da empresa», que significa «apenas uma miséria de liberdade para o povo, que em vão pode tentar fazer uso dos seus direitos democráticos para se resguardar do poder dos donos da propriedade».


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: