- Edição Nº2332  -  9-8-2018

Ryanair cancela 146 voos devido a greve em três países

AVIAÇÃO A transportadora aérea de baixo custo Ryanair anunciou o cancelamento de quase centena e meia de voos devido às greves marcadas para amanhã, sexta-feira, 10, na Irlanda, Bélgica e Suécia.

A paralisação de amanhã também poderá ser seguida pelos pilotos da Ryanair na Alemanha e na Holanda.

Na última semana de Julho, tripulantes de cabine da companhia em Itália, Portugal, Espanha e Bélgica estiveram em greve para reclamar, essencialmente, a aplicação das leis laborais dos respectivos países e não as irlandesas.

Na própria Irlanda, parte dos pilotos deverão avançar amanhã para o seu quinto dia de greve, desde 12 de Julho. Organizados no sindicato Forsa, estes profissionais reclamam melhores condições de trabalho, mas as reuniões com a administração realizadas na semana passada não produziram resultados.

Pelo contrário, o conflito agravou-se após a companhia ter ameaçado transferir aviões estacionados em Dublin para a Polónia, medida que colocaria em causa 300 postos de trabalho, dos quais cem pilotos.

Em Espanha, o SEPLA apresentou queixa contra a Ryanair por «irregularidades» nos contratos de pilotos baseados no país.

Em comunicado, aquele sindicato indicou que «após um ano de negociações, a recusa por parte da Ryanair em reconhecer e aplicar a legislação laboral espanhola, aos pilotos que operam em Espanha, forçou o recurso à via judicial».

O SEPLA acusa a Ryanair de operar no «limite da legalidade» e de exercer «uma concorrência desleal».

A explosão da conflitualidade laboral, desde Setembro de 2017, já custou à companhia o cancelamento de mais de 20 mil voos, obrigando-a a entabular negociações com sindicatos de vários países.