Os mercados vão ensinar a Itália a votar correctamente.”

(Günther Oettinger, Negócios, 30.5.18)

 

 

O grande vencedor desta votação [sobre a despenalização da eutanásia] é a saúde.”

(Miguel Guimarães, Correio da Manhã, 30.5.18)

 

Europa cria fundo de pensões privadas depois de pressão de empresa do sector.”

(Título do DN, 1.6.18)

 

 

Não será de espantar, por isso, que quando Israel celebra o seu momento fundador os palestinianos se mobilizem para lembrar o lado sombrio desse processo e o esquecimento ou marginalização a que ele tem sido votado por boa parte da comunidade internacional.”

(João Arriscado Nunes, Público, 1.6.18)

 

Hoje como ontem o CPPC promove uma intervenção em que têm lugar todos aqueles e aquelas que – independentemente das suas convicções políticas, ideológicas ou religiosas – consideram ser premente a defesa da paz e rejeição da guerra com suas hediondas consequências.”

(Ilda Figueiredo, Público, 2.6.18)

 

Como no tempo da ditadura fascista em Portugal, em que o movimento pela paz era perseguido, alguns continuam a ansiar ‘riscar do mapa’ o CPPC e, não conseguindo fazê-lo, caluniam a sua acção e apelam à sua ostracização. Desenganem-se aqueles que anseiam silenciar o CPPC.”

(Idem, ibidem)

 

A imprevisibilidade da Casa Branca começa a parecer-se com uma ‘estratégia’.”

(Teresa de Sousa, Público, 3.6.18)

 

Trump não acredita em aliados: só em súbditos.”

(Fernando Sobral, Negócios, 4.6.18)