Breves
BRAGA
Muita pompa para poucos direitos

Na véspera da inauguração do novo centro de investigação da Bosch Car Multimédia (BCM), realizada no dia 30 de Maio em Braga com a presença de individualidades do Estado português e da chanceler alemã Angela Merkel, o PCP emitiu um comunicado onde denuncia a exploração naquela multinacional: os resultados exponenciais alcançados permitiram à empresa acumular lucros de milhões de euros anuais, enquanto os criadores dessa riqueza são sujeitos a horários e ritmos de trabalho desumanos e salários muito aquém das possibilidades. Não ignorando a importância da manutenção dos postos de trabalho, a Direcção da Organizção Regional de Braga do Partido não branqueia, por isso, as precárias condições em que esse trabalho é prestado e a forma como a BCM acumula os seus lucros: por via da exploração directa dos trabalhadores e da «voragem de recursos financeiros comunitários e apoios estatais».


ÉVORA
Pressões no call center da Fidelidade

Uma delegação do PCP, na qual se inseria o deputado e membro da Comissão Política João Oliveira, esteve no dia 25 de Maio junto às instalações do call center da Fidelidade na cidade de Évora dando a conhecer aos trabalhadores o teor dos requerimentos que apresentou na Assembleia da República relativos aos problemas laborais daquele local de trabalho. Os comunistas contactaram com dirigentes do Sinapsa, que deram a conhecer as atitudes ilegais da administração, que proibiu delegadas sindicais de distribuírem documentos de apelo à greve (que nesse dia se realizava), retirou propaganda que estava colocada no placard sindical e instaurou processos disciplinares a sindicalistas. Ao mesmo tempo, a empresa de trabalho temporário Newsspring procurou utilizar ilegalmente o banco de horas para proceder à substituição dos trabalhadores em greve. O PCP apelou à unidade e firmeza dos trabalhadores e endereçou requerimentos ao Governo denunciando a situação.


TORRES VEDRAS
Karl Marx em debate

O PCP realizou na sede do Fórum de Associações, em Torres Vedras, um debate sobre o segundo centenário do nascimento de Karl Marx. Moderada por José Nozes Pires, a iniciativa contou com as intervenções de Albano Nunes e Venerando de Matos, o primeiro colocando a tónica no pensamento e acção revolucionárias de Karl Marx e o segundo reflectindo sobre a influência dos fundadores do socialismo científico no concelho de Torres Vedras. Foram lembradas as primeiras iniciativas de organização de operários e artesãos e as suas reivindicações e as mais antigas referências ao socialismo e a Karl Marx na imprensa local.