Nascimento de Marx assinalado em todo o mundo
II Centenário de Karl Marx comemorado com inauguração de estátua em Trier

HOMENAGEM As comemorações do Segundo Centenário do filósofo e revolucionário Karl Marx iniciaram-se, dia 5, em Trier, sua terra natal, no estado da Renânia Palatinado, na Alemanha.

O programa do município, sob gestão dos sociais-democratas, estender-se-á pelos próximos meses e inclui uma exposição permanente na casa onde nasceu o autor de «O Capital», que foi renovada pela autarquia para a celebração do bicentenário.

Estão igualmente programadas mais de 600 iniciativas, em que se destacam exposições, concertos, peças de teatro e conferências versando sobre a vida e obra do célebre pensador.

Na data do aniversário do seu nascimento, 5 de Maio de 1818, as comemorações tiveram como ponto alto a inauguração de uma estátua de bronze, com uma altura de 5,5 metros, oferecida pelo Estado chinês, que enviou uma representação oficial à cerimónia.

No evento participaram cerca de 1500 pessoas, segundo números da polícia, entre as quais estavam descendentes do filósofo, nomeadamente a socióloga francesa Frédérique Longuet-Marx, mas também dirigentes de partidos da esquerda alemã, bem como do Partido Social-Democrata (SPD), através da sua presidente, Andrea Nahles.

Em declarações à AFP, Nahles reconheceu que «o SPD não é desde há muito um partido com uma visão marxista, mas Marx e as suas concepções ainda fazem parte» da sua matriz política. «E penso que faríamos bem em reler algumas das suas análises no contexto actual», acrescentou a dirigente.

Na véspera do descerramento da estátua, também o presidente da Comissão Europeia, o conservador Jean-Claude Juncker, fez questão de comparecer na cerimónia de reabertura da Casa de Karl Marx, em Trier.

A ocasião foi também marcada por manifestações do Partido Comunista Alemão, sob o lema «Proletários de Todos os Países, Uni-vos», bem como, em sentido inverso, pela extrema-direita alemã, representada pelo partido Alternativa para a Alemanha (AfD) que desfilou para denunciar «o culto de Marx».

O Segundo Centenário do nascimento de Karl Marx, no passado fim-de-semana, foi ainda assinalado um pouco por todo o mundo, designadamente com um colóquio organizado pela Fundação Rosa Luxemburg, encontros nas cidades além-Mancha de Londres, Manchester e Dublin, Cidade do Cabo, na África do Sul, em Tóquio, no Japão, ou em Buon Ma Thuot, no Vietname.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: