Indignação dos médicos

«Este Ministério da Saúde não nos dá alternativa que não seja mantermos as formas de luta já anunciadas, nomeadamente a greve agendada para os dias 8, 9 e 10 de Maio», protestou a Federação Nacional dos Médicos, num comunicado de 28 de Março.
A FNAM expressou «indignação» pelo adiamento, por parte do Ministério, da reunião agendada para esse dia, interpretando esta atitude como «objectivamente, a recusa a negociar e o total desrespeito e falta de consideração pelos médicos».
No dia 30, o Sindicato dos Médicos da Zona Sul informou que disponibilizou aos seus associados uma minuta para «declinarem a responsabilidade civil por qualquer acidente ou incidente lesivo do direito à protecção da saúde dos cidadãos, resultante da deficiente organização e gestão do serviço e/ou da insuficiência ou inadequação das condições de trabalho disponibilizadas».
Ressalva o SMZS, contudo, que a minuta, por si só e sem mais, não garante, directa e automaticamente, a exclusão da responsabilidade civil do(a) médico(a).

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: