Recuo da Transtejo é resultado da luta, garante PCP

O PCP está a distribuir um comunicado à população do concelho de Almada, mais concretamente da freguesia da Trafaria, no qual valoriza o resultado da luta pela manutenção da ligação fluvial Trafaria – Porto Brandão – Belém. Os comunistas garantem ter sido «por força da luta» que a suspensão do transporte de passageiros foi revertida. Suspenso encontra-se, ainda, o transporte de automóveis.

Começando por realçar que o recuo da Transtejo de suspender a ligação entre Trafaria e Porto Brandão e a capital resultou da «luta das populações e dos utentes, que de imediato fizeram ouvir a sua indignação», o Partido garante que «é necessário não baixar os braços e frustrar as intenções daqueles que pretendem destruir os serviços públicos» e entregá-los a interesses privados. A maioria PS/PSD, que dirige o município, já afirmou publicamente, pela voz da presidente da Câmara, que aceita este caminho, «colocando irremediavelmente em causa o direito ao bem-estar e ao desenvolvimento da nossa terra».

Para o PCP, mais do que o incómodo que representa para os utentes e para a população a não existência de qualquer alternativa à Ponte 25 de Abril para atravessar o Tejo de automóvel, há também um risco associado, no momento em que são conhecidas as «patologias que afectam aquela estrutura rodo-ferroviária e que ainda não foram alvo de reparação». O Partido garante que há condições para repor o atravessamento de carros, «assim o queira a administração da Transtejo», pois existem infra-estruturas tanto na margem Norte como na margem Sul que o possibilitam.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: