Defraudados e esquecidos ao longo de muitos mandatos
Moradores de São Pedro de Azevedo abandonados pela Câmara do Porto

AUTARQUIAS No sábado, 7, Ilda Figueiredo, vereadora da CDU na Câmara Municipal do Porto, visitou São Pedro de Azevedo, em Campanhã, uma zona esquecida ao longo de sucessivos mandatos.

Integrando uma delegação da CDU, Ilda Figueiredo constatou, entre outros aspectos, a indignação dos moradores com a alteração da linha número 400 da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP), que passou o trajecto até Rio Tinto-Parque Nascente, ao invés de retornar ao Porto como anteriormente. Esta alteração origina grande transtorno aos utentes porque, agora, para irem directamente ao Porto têm de fazer transbordo em Azevedo de Campanhã, o que pode chegar a demorar 40 minutos.

«Esta zona continua esquecida pela Câmara Municipal, que na campanha eleitoral assumiu promessas de investimento para Azevedo de Campanhã, criando expectativas nos moradores que têm sido defraudados e esquecidos ao longo de muitos mandatos», refere a Coligação PCP/PEV, em nota de imprensa.

Simultaneamente, nesta zona regista-se ainda a existência de «graves problemas de segurança rodoviária e pedonal», nomeadamente nas ruas do Bacelo e da Levada, principais acessos ao Freixo, que não têm dimensão para dois sentidos de tráfego. Os moradores queixam-se de «insegurança», da «rede pluvial» e da «manutenção das árvores, que se cruzam com a rede eléctrica», acrescenta a coligação, referindo «vários casos de queda de árvores que originaram cortes de luz prolongados».

A CDU considera mesmo que a inexistência de «investimento é transversal a várias vertentes, como a social, cultural e desportiva» e aponta a «falta de apoio ao Vitória Sport Club de Campanhã», que «levou ao seu encerramento e abandono do parque de jogos», obrigando assim «as crianças e jovens desta zona a irem para Gondomar para a prática desportiva».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: