OLP quer investigação a crimes sionistas

«Continuaremos a perseguir os nossos direitos em fóruns internacionais através de esforços legais para a abertura imediata de uma investigação aos crimes israelitas», assegurou o secretário-geral da Organização para a Libertação da Palestina (OLP). Saeb Erekat referia-se à apresentação de um processo no Tribunal Penal Internacional (TPI) a propósito da violência sionista contra o protesto denominado «Marcha do Retorno».

Desde o início da vaga de contestação, a 30 de Março (prolonga-se até dia 15 de Maio), 32 palestinianos foram já assassinados pelas forças ocupantes de Israel, dez dos quais, incluindo um jornalista, na passada sexta-feira, 6. Só nesse dia, para além das vítimas mortais, mais de 1350 palestinianos ficaram feridos, cerca de 500 por balas e explosivos dos militares israelitas, informaram as autoridades palestinianas.

O dirigente da OLP acusou ainda os EUA de estarem a «ignorar, de forma intencional, a morte de manifestantes indefesos» que lutam «pacificamente pela liberdade».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: