Direita húngara vence eleições legislativas

A aliança de direita Fidesz/KDNP, liderada pelo primeiro-ministro Viktor Orban, ganhou pela terceira vez consecutiva as eleições legislativas realizadas no domingo, 8, na Hungria.

Com uma taxa de participação de 68,13 por cento, mais 6,4 pontos percentuais do que nas eleições de 2014, a Fidesz-KDNP obteve 48,48 por cento dos votos. A formação de Orban subiu 3,61 pontos percentuais, renovando a maioria absoluta de dois terços de que já dispunha no parlamento, com os mesmos 133 em 199 deputados.

O partido Jobbik, de extrema-direita, foi a segunda força mais votada, com 19,64 por cento (menos 0,68 pontos percentuais) e 26 deputados (+3).

Em terceiro lugar ficou o Partido Socialista Húngaro (MSZP) coligado com o partido ecologista «Diálogo pela Hungria», com 12,33 por cento e 20 deputados. Nas eleições anteriores o MSZP tinha concorrido no seio da coligação «Unidade», alcançando então mais 13 por cento dos votos e mais nove deputados em relação aos actuais resultados.

A Coligação Democrática (DK) do ex-primeiro-ministro Ferenc Gyurcsany, que antes contava com quatro deputados eleitos no âmbito da coligação «Unidade», conseguiu eleger nove representantes, com 5,58 por cento dos votos.

Também o partido ecologista «Políticos Podem Ser Diferentes» (LMP) registou uma pequena subida ao recolher 6,92 por cento dos votos (+1,58%), elegendo 8 deputados (+2).

Na campanha, Orban insistiu no discurso anti-imigração, acusando a oposição de defender um país de imigrantes, ameaçando a sua segurança e identidade cristã.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: