Hervé Falciani retido em Espanha

Hervé Falciani, antigo informático franco-italiano do banco HSBC Suisse, que trouxe a público o escândalo de evasão fiscal conhecido como «Swissleaks», foi detido, dia 5, pelas autoridades espanholas quando se preparava para participar numa conferência sobre evasão fiscal e jornalismo de investigação, em Madrid.

Saindo em liberdade, Falciani ficou no entanto sujeito a várias medidas cautelares, designadamente a proibição de sair de Espanha, até a Justiça se pronunciar sobre o pedido de extradição feito pela Suíça, onde foi condenado a cinco anos de prisão.

O ex-informático havia sido preso em Barcelona já em 2012, ao abrigo do mandado internacional de captura emitido pela Suíça, sob a acusação de «espionagem económica, roubo de informação e violação do segredo comercial e bancário»

Na altura, porém, a Audiência Nacional de Espanha recusou a extradição, considerando que a denúncia de infracções penais não pode ser punida.

Com efeito, a chamada «lista Falciani» permitiu identificar 127 mil contas de 79 mil cidadãos de 180 nacionalidades, usadas para evasão fiscal e branqueamento de capitais.

Dois anos e meio após a condenação de Falciani, as autoridades helvéticas voltaram a requer a sua extradição, num pedido enviado a Espanha a 19 de Março, o que coincide com a presença na Suíça de duas dirigentes independentistas catalãs procuradas pela Justiça espanhola.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: