Breves
Vila Nova de Gaia

Na terça-feira, dia 6, enfermeiros do Centro Hospitalar de Gaia-Espinho concentraram-se no exterior da Unidade I (Monte da Virgem), protestando contra o facto de ter sido comunicado, com efeito na próxima segunda-feira, dia 12, o despedimento de 12 profissionais, dos 24 que foram contratados no âmbito do plano de contingência da gripe. O SEP/CGTP-IN exige a anulação do despedimento, afirma que se mantém o défice de enfermeiros e revelou que, para amanhã, foi marcada reunião com a administração daquela unidade de saúde.


Ataque ao SNS

Ao contrário do que nele o Governo afirma, o Despacho n.º 1194-A/2018 vem «atacar de forma inaceitável os Cuidados de Saúde Primários (CSP) e o direito dos utentes a uma assistência com a melhor qualidade possível», protestou a Federação Nacional dos Médicos. Numa nota publicada dia 3, a FNAM criticou que seja limitado a 30 o número de Unidades de Saúde Familiar (USF) a constituir em 2018 e que não progridam ao modelo B todas as 27 USF de modelo A que estão prontas para essa transição.
Aquele despacho, «em conjunto com a inexistente contratualização com as unidades funcionais implementadas (UCSP, USF), torna-se num ataque feroz à reforma dos CSP, levando à desmotivação dos profissionais e perpetuando as más condições de trabalho», acusa a FNAM.


Greve na EVA

Em defesa do Acordo de Empresa e para reivindicar aumento de salários, a Fectrans/CGTP-IN decidiu convocar greve na EVA (Empresa de Viação do Algarve, do Grupo Barraqueiro), para os dias 23 e 26 de Fevereiro.


Seixal

Trabalhadores da cooperativa «Pelo Sonho é que Vamos», com instalações no concelho do Seixal, reuniram-se ao início da noite de 31 de Janeiro, frente ao centro de acolhimento (Farinheiras, Arrentela), para exigirem o pagamento de subsídios de Natal, em atraso desde 2014, e aumentos salariais, que não ocorrem desde 2015, informou a União dos Sindicatos de Setúbal (CGTP-IN).