Breves
Protestos e detenções alastram na Tunísia

Mais de duas centenas de pessoas foram detidas e dezenas de outras ficaram feridas na sequência da vaga de protestos em várias cidades da tunisinas, desencadeada na segunda-feira, 9.

As autoridades de Tunes falam em tumultos, pilhagens de estabelecimentos e reportam pelo menos um ataque a uma sinagoga, mas admitem que o rastilho do descontentamento são os aumentos do imposto sobre o consumo e das contribuições sociais, medidas de «austeridade» que recaem sobre as massas castigadas por condições de vida extremamente difíceis.

Desde a chamada Revolução de Jasmin, em 2011, o mês de Janeiro é assinalado na Tunísia com manifestações e greves por uma política que promova direitos sociais e laborais e a melhoria dos rendimentos populares.


ANC assinala 23 anos da morte de Joe Slovo

No 23.º aniversário da sua morte, Joe Slovo, veterano da luta anti-apartheid e dirigente do Partido Comunista Sul-Africano, foi recordado em Joanesburgo.

O coordenador do Congresso Nacional Africano (ANC), Gwede Mantashe, rendeu homenagem a Slovo, desaparecido em 1995, e abordou a situação actual na África do Sul. Pediu aos sul-africanos que dêem uma oportunidade à nova direcção do ANC para corrigir erros e adoptar programas que rectifiquem as falhas do passado.

O ANC, fundado a 8 de Janeiro de 1912 e no poder desde 1994, após o derrubamento do apartheid, elegeu em Dezembro novos dirigentes, incluindo o presidente, Cyril Ramaphosa.


Eleições em Cuba serão em 11 de Março

O Conselho de Estado de Cuba anunciou as datas das eleições dos delegados provinciais e dos deputados à Assembleia Nacional do Poder Popular (parlamento), noticiou o diário Granma.

Assim, a 11 de Março próximo, os eleitores da República de Cuba vão eleger, para um mandato de cinco anos, os delegados das 15 províncias e os 600 parlamentares da nação.

O jornal de Havana informa também que as assembleias municipais do Poder Popular, já eleitas, vão reunir-se a 21 deste mês, em sessões extraordinárias, para designarem candidatos a delegados provinciais e a deputados.


Rafael Correa de volta ao Equador

Está a decorrer no Equador a campanha para o referendo e a consulta popular de 4 de Fevereiro, impulsionados pelo presidente Lenín Moreno. Participam da campanha 40 organizações, 16 políticas e 24 sociais, e apenas quatro delas defendem o Não às perguntas colocadas aos cidadãos.

Cada boletim de voto terá sete questões, das quais cinco no referendo, cujos temas são: agravar as sanções a responsáveis por actos de corrupção; suprimir o Conselho de Participação Cidadã; eliminar a reeleição sem limite de mandatos; estipular que não prescrevem os delitos sexuais contra menores; e proibir a exploração mineira em áreas protegidas. A consulta incidirá sobre dois temas – derrogar a Lei de mais-valia e reduzir a área de exploração petrolífera no Parque do Yasuní.

O ex-presidente da República, Rafael Correa, que vive na Bélgica, regressou ao país, pela cidade portuária de Guayaquil, para encabeçar a campanha pelo Não a pelo menos três questões.

Correa prometeu «queimar as solas dos sapatos» na campanha para demonstrar a inconstitucionalidade de propostas referendadas como as relacionadas com a reeleição indefinida, a Lei de mais-valia e o Conselho de Participação Cidadã.


Comunistas do Nepal constroem a unidade

A fusão dos dois grandes partidos comunistas do Nepal foi tratada entre responsáveis das duas formações, numa reunião realizada em Katmandu.

As figuras mais destacadas do Partido Comunista (Unificado Marxista-Leninista), K.P. Shrama Oli, e do Partido Comunista (Maoísta), Pushpa Kamal Dahal, anunciaram que tinham decidido «finalizar dentro de dias o processo de fusão».

Os comunistas e aliados venceram com ampla vantagem as eleições parlamentares e provinciais realizadas em finais de 2017.