PCP quer travar encerramento da General Electric em Setúbal

A Comissão Concelhia de Setúbal do PCP, num comunicado tornado público recentemente, «repudia fortemente a intenção demonstrada pela multinacional General Electric de encerrar a sua unidade de produção em Setúbal». A confirmar-se este cenário, está em causa não o despedimento de 200 trabalhadores mas de perto de 400, pois aos cerca de duas centenas de trabalhadores efectivos somam-se «outros tantos, que laboram diariamente na fábrica através de empresas de trabalho temporário».

Para o Partido, a intenção de encerrar a fábrica é «tanto mais estranha quando ainda durante este ano, numa visita à empresa a pedido do Grupo parlamentar do PCP, a administração informou que esta unidade da GE em Setúbal estava num processo de modernização e aquisição de nova maquinaria e de contratação de trabalhadores (100)». Este investimento integrava-se num «grande plano de reestruturação» que tinha em vista duplicar a capacidade de produção anual já no próximo ano.

A Comissão Concelhia do PCP espera que seja ainda possível travar este encerramento, tendo em conta que a fábrica reúne «todas as condições materiais e humanas para continuar a funcionar». Para este desejável desfecho, o Partido apela aos trabalhadores para que «não se resignem e lutem pelos seus postos de trabalho». O PCP, pela sua parte, tudo fará para os apoiar e contrariar a intenção da administração da General Electric que, a ir por diante, constituirá uma «grande perda para a região de Setúbal e para a produção nacional».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: