Propostas para a Mata do Vimeiro

Preocupada com a «inoperância» do Estado e com a «falta de eficácia» da Câmara Municipal de Alcobaça, a CDU, em nota de imprensa, sublinha que «a Mata do Vimeiro é uma relíquia da natureza que não pode ser esquecida».

Para os eleitos do PCP, aquele espaço, com 276 hectares, «tem de ter vida» capaz de desenvolver as freguesias de Vimeiro e Cela, assim como todo o concelho. Os comunistas de Alcobaça propõem, por isso, que se dê «utilidade» a diversos espaços daquele «pulmão verde», restaurando o viveiro, a casa da guarda/da mata, o parque de merendas do Gaio, o depósito de água, a estufa e a Pena Gouvinha. Reclamam, também, que se «retome a investigação» dos Coutos de Cister, um território que foi administrado pelo Mosteiro de Alcobaça.

Os comunistas apresentam ainda propostas para desenvolver a economia do concelho, aproveitando, de forma integrada, os «espaços de turismo e lazer» e chamando as «pessoas com a biodiversidade» da Mata do Vimeiro.

Defendem, também, «a criação de parcerias, público-sociais, entre entidades, públicas e privadas», comportando projectos que «devem unir todos os alcobacenses» e a «valorização da Beira Baça», que nasce no Silval e na Pena Gouvinha e cujas ribeiras «devem ser cuidadas».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: