“O futuro do país está ligado ao futuro da União Europeia, é com esse espírito construtivo que abraço este desafio [candidatura à presidência do Eurogrupo].”

(Mário Centeno,
Lusa, 30.11.17)

 

“Costa teve o OK de Merkel e Macron para Centeno avançar.”

(Manchete do Expresso,
1.12.17)

 

“Eu quero recordar que nós tínhamos um acordo com o PS antes do 25 de Abril. No dia 23 de março de 1974 houve um encontro, ao mais alto nível, entre delegações do PCP e do PS em que foi estabelecido um acordo, porque estava no horizonte o derrubamento da ditadura.”

(Domingos Abrantes,
jornal i, 3.12.17)

 

“A ideia era que o entendimento entre os dois partidos era fundamental para a consolidação do regime democrático. O PS rasgou isso muito rapidamente. O grande problema é que não há um Partido Socialista. Há vários.”

(Idem, ibidem)

 

“Creio que aquela feliz frase do Jerónimo de que “o PS só não forma governo se não quiser” foi decisiva para barrar o caminho a novas tentações da direita.”

(Idem, ibidem)

 

“As pessoas riem-se nas situações mais desesperadas. Há que assegurar que esse riso não é um riso de desespero, mas um riso que seja de protesto.”

(Michael Palin,
Público, 3.12.17)

 

“A boa comédia é na verdade um protesto.”

(Idem, ibidem)

 

“Existe [na Alemanha] uma enorme pressão sobre o SPD para voltar a juntar-se à CDU numa grande coligação. Será uma enorme decisão aquela que o partido tem de tomar.”

(Elisabeth Botsch,
Sol, 4.12.17)

 

“Empresas devem 8 milhões ao fundo para despedimentos.”

(Título do Diário de Notícias,
5.12.17
)