Secundária de Mem Martins precisa de mais funcionários

Os funcionários da Escola Secundária de Mem Martins, no concelho de Sintra, cumprem até amanhã, 10, uma greve parcial às primeiras duas horas de trabalho. Concentrados à porta da escola na segunda-feira, 6, primeiro dia da paralisação, os trabalhadores denunciaram, com o apoio dos pais e dos alunos, que no actual ano lectivo o estabelecimento acolheu mais 300 alunos (passando para cerca de dois mil no total) mas viu o número de não docentes diminuir.

À Lusa, uma dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas afirmou que a escola não tem condições para funcionar com apenas 21 não docentes, considerando a existência de cerca de 70 salas, entre as quais laboratórios, e um período de funcionamento de 14 horas diárias.

«Há 19 alunos com necessidades educativas especiais que não têm ninguém para os acompanhar, que andam sozinhos, à deriva, porque é uma escola muito grande [17 mil m2 de área coberta e 25 mil m2 totais]», acrescentou Francelina Pereira.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: