Breves
«A Cultura não se fica»

A Plataforma Cultura em Luta participou, dia 6, na acção «A Cultura não se fica», que aconteceu em Lisboa e no Porto.

Na iniciativa, como se refere num comunicado divulgado dias antes, exigiu-se «a elevação imediata do financiamento para um patamar que se aproxime a passos firmes do 1% do Orçamento do Estado até ao final da legislatura, com vista a alcançar gradualmente 1% do PIB (Produto Interno Bruto) para a cultura».

No documento, a plataforma «não aceita» que «a engenharia orçamental, a obsessão economicista do défice e limitações inaceitáveis aos imperativos da Constituição da República Portuguesa possam servir de pretexto para não fazer aquilo que tem de ser feito, na cultura como no País».


Manifesto «Justiça para a Palestina»

Coincidindo com o centenário da Declaração Balfour, no dia 2 foi apresentado publicamente, na Fundação José Saramago, em Lisboa, o Manifesto «Justiça para a Palestina», subscrito por uma centena de personalidades dos mais variados sectores da vida cívica portuguesa.

Conduzida por Maria do Céu Guerra, presidente do Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente, a sessão contou com a presença do embaixador da Palestina em Portugal, Nabil Abuznaid. Vários dos subscritores tiveram oportunidade de apresentar breves testemunhos sobre as razões da adesão a este apelo cívico em prol dos direitos do povo palestiniano.

O Manifesto foi posteriormente entregue ao Presidente da República, ao presidente da Assembleia da República e ao primeiro-ministro.


URAP apresenta revista

No dia 28, foi apresentada a 3.ª edição da revista «Forte de Peniche – Memória, Resistência e Luta», editada pela União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP). A sessão, no Forte de Peniche, contou com a presença de Vítor Dias, José Pedro Soares e Marília Villaverde Cabral.


Mulheres no FEMM

O Movimento Democrático de Mulheres (MDM) reuniu, dia 31 de Outubro, com o Comité dos Direitos das Mulheres e Igualdade de Género do Parlamento Europeu (FEMM). O encontro teve como objectivo dar a conhecer a situação sócio-económicas das mulheres portuguesas e o impacto que as políticas de austeridade tiveram nas suas vidas.


Resolver os problemas de Sintra

O vereador eleito pelo PCP nas últimas eleições para a Câmara de Sintra recusou pelouros no executivo municipal, de maioria PS. Na autarquia, o Partido promete desenvolver «uma intervenção autónoma, activa, atenta, exigente e construtiva, que contribua para resolver os problemas sentidos por todos os que vivem e trabalham em Sintra».

Em nota de imprensa, a Comissão Concelhia de Sintra do PCP recorda que a CDU apresentou «um programa eleitoral diferente de todas as restantes forças políticas, na medida em que era – é – um projecto de transformação e mudança».


Trabalho feito no Barreiro

Na primeira reunião da Câmara Municipal do Barreiro, Sofia Martins, vereadora do PCP, sublinhou que a autarquia, neste novo mandato, começa o seu exercício com a situação financeira consolidada e com um conjunto de investimentos já programados para o futuro.

Entre outros, Sofia Martins destacou os investimentos em Alburrica e a aquisição de 60 autocarros.


Soluções apresentadas na Feira

Na primeira Assembleia Municipal de Santa Maria da Feira, Filipe Moreira, eleito do PCP, anunciou que nos próximos quatro anos vai apresentar diversas soluções para inúmeros problemas do município.

Entre outros, destacou o reforço dos transportes públicos; a Linha do Vouga; a reposição das freguesias; a valorização do património cultural e ambiental; a necessidade de capitalizar emprego de qualidade. «Da CDU podem esperar muito trabalho», afiançou Filipe Moreira.


Jardim público no Funchal

Dia 4, no Funchal, a CDU exigiu a construção de um novo jardim público na Mata da Nazaré. Para os eleitos do PCP, «seria um crime ambiental não preservar este ponto verde».


CIMAL reelege Vítor Proença

Vítor Proença, presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, foi reeleito presidente da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL). Também os presidentes das câmaras de Grândola, António Figueira Mendes, e de Odemira, José Alberto Guerreiro, vão continuar como vice-presidentes da CIMAL.

O Conselho Intermunicipal da CIMAL para o mandato de 2017-2021 integra ainda os presidentes dos municípios de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, e de Sines, Nuno Mascarenhas.