Breves
Esquerda Verde indigitada para formar governo na Islândia

O presidente da Islândia, Gudni Johannesson, indigitou a líder do Movimento de Esquerda Verde, Katrin Jakobsdottir, para formar governo, na sequência das eleições legislativas de 28 de Outubro, segundo noticiou, dia 2, a AFP.

A decisão do Chefe de Estado causou surpresa já que, habitualmente, tal missão tem sido conferida ao líder do partido mais votado, neste caso, o Partido da Independência (conservador) que obteve 25,2 por cento dos votos, contra 16,9 obtidos pela Esquerda Verde.

Porém, feitas as contas, o novo executivo pode resultar de um entendimento entre os Verdes (11 deputados), a Aliança de sociais-democratas (7 deputados), o Partido Pirata (6 deputados) e o Partido do Progresso (8 deputados), que juntos garantem uma maioria de 32 deputados num hemiciclo com 63 assentos.


Tribunal suspende mudança de toponímica franquista

Um tribunal de Madrid aceitou uma providência cautelar contra a alteração dos nomes de 52 ruas e praças que remontam à era da ditadura franquista.

Segundo a agência EFE, na decisão datada de 24 de Outubro, o tribunal deu provimento a uma acção apresentada pela Fundação Francisco Franco, na qual esta considera que a deliberação do município madrileno tem um «marcado conteúdo ideologizante», «sectário e revanchista».

Em Julho passado, pouco depois de ter tomado a decisão, em aplicação da Lei da Memória Histórica, o município suspendeu a substituição das placas, aguardando que a Justiça se pronuncie sobre três acções contra a medida.


Justiça abre nova investigação contra Berlusconi

A procuradoria de Florença abriu um novo inquérito contra o antigo primeiro-ministro, Silvio Bercusconi, por suspeita de envolvimento nos atentados da mafia, em 1993, em Itália.

Os indícios surgiram nas escutas realizadas em 2016, na prisão onde se encontrava o chefe mafioso, Giuseppe Graviano, cujas afirmações implicam Berlusconi nos atentados de Florença (5 mortos), Roma (sem vítimas) e Milão (5 mortos) para desestabilizar o governo.


Trabalhadoras da Bershka terminam greve vitoriosa

As trabalhadoras de cinco lojas da cadeia de vestuário Bershka, na província galega de Pontevedra, terminaram, dia 3, uma greve de nove dias, com adesão total, pela melhoria das condições de trabalho.

Em resultado da sua luta obstinada, não só conseguiram garantir períodos de descanso, licenças para aleitamento e escolha do período de férias, como também obtiveram o prémio de 120 euros mensais, equiparando-se assim às condições que usufruem as suas colegas das lojas da província vizinha da Corunha.

Segundo a Confederação Intersindical Galega (CIG), 90 por cento das trabalhadoras estão contratadas a tempo parcial, mas são obrigadas a fazer horas suplementares conforme as conveniências da empresa, sujeitando-se a horários que não permitem conciliar o trabalho com a vida pessoal e familiar.

Esta greve vitoriosa foi também a primeira ocorrida em toda a Espanha numa cadeia da multinacional Inditex, detida maioritariamente por Amancio Ortega, um dos homens mais ricos do mundo, com activos avaliados em 70 mil milhões de euros, de acordo com a última listagem da revista Forbes.


Países credores acumulam lucros com dívida grega

O Banco Central Europeu (BCE) acumulou lucros de 7838 milhões de euros em juros e ganhos de capital com a dívida grega, entre 2012 e 2016, segundo uma carta do presidente do BCE, Mario Draghi, aos deputados do Parlamento Europeu, citada pela Euronews.

A estação televisiva recorda que, na altura, os estados-membros acordaram em não retirar vantagem financeira do resgate, comprometendo-se a devolver à Grécia os ganhos decorrentes da operação.

Todavia os lucros foram repartidos pelos bancos centrais, em proporção ao capital de cada um no BCE, permanecendo até hoje em grande parte nas mãos dos países credores.

A Alemanha é o estado-membro que mais beneficiou com a dívida adquirida à Grécia, estimando-se um ganho de dois mil milhões de euros desde 2012, seguindo-se a França, com 1,58 mil milhões de euros, e a Itália, com 1,37 mil milhões de euros.