- Edição Nº2284  -  7-9-2017

Intensificar a luta para ir mais longe

APELO O PCP está a distribuir um folheto aos trabalhadores da Administração Pública no qual valoriza o que foi alcançado e apela à intensificação da luta pelo muito que falta ainda conquistar.

«Vale a pena lutar» é a mensagem central desse documento, no qual a Coordenadora Nacional do PCP para a Administração Pública realça a luta e os avanços alcançados na reposição de direitos e rendimentos. Valorizando as conquistas verificadas ao nível dos horários, salários, subsídios e feriados, o Partido destaca ainda o facto de se ter aberto o caminho para o combate à precariedade, uma luta que, garante, «não parou e que tem de ser continuada» até que todos os trabalhadores que ocupam um posto de trabalho permanente «sejam integrados nos mapas de pessoal».

Mas para lá de valorizar o que já foi conseguido, o PCP põe a tónica no que falta ainda alcançar através da luta: o descongelamento dos salários e a sua actualização anual; o descongelamento das progressões nas carreiras e a adaptação das categorias ao conteúdo funcional; a melhoria do subsídio de refeição; o fim dos cortes no pagamento das horas extraordinárias; a reposição dos 25 dias de férias e do subsídio de Natal integral; o fim da precariedade; a aplicação das 35 horas a todos os trabalhadores; a melhoria dos serviços; e a redução da contribuição dos trabalhadores para a ADSE.

Defender a ADSE

Especificamente sobre a ADSE, o PCP apela ainda no folheto a que seja prosseguida a luta em defesa do carácter público deste sistema, que tem na eleição para o órgão de supervisão, a realizar no próximo dia 19, um momento particularmente importante. Votar na Lista G, realça-se, é eleger aqueles que, «de forma coerente, têm defendido os direitos dos trabalhadores e aposentados».

O PCP, como muitos trabalhadores e aposentados, tem-se batido pela ADSE como «sistema complementar de saúde, reforçado e melhorado, para todos os trabalhadores da Administração Pública, independentemente do seu vínculo laboral», e pela redução dos descontos para a ADSE, com incidência sobre 12 meses de remuneração base.