- Edição Nº2284  -  7-9-2017

Monumento aos resistentes inaugurado no sábado em Peniche

A Câmara Municipal de Peniche e a URAP inauguram no sábado, 9, um monumento de homenagem aos presos políticos que, entre 1934 e 1974, estiveram encarcerados no Forte de Peniche. A iniciativa está marcada para as 16 horas no próprio forte, onde ficará instalado o monumento, da autoria do escultor José Aurélio.

No sítio da URAP na Internet explica-se que o monumento – «um cubo em aço com 25 quadriculados que terminam em asas, com também 25 hastes no seu interior, que representam os prisioneiros, assente num espelho de água» – será inaugurado dentro das velhas muralhas, logo a seguir ao parlatório. Será uma forma de «honrar e agradecer aos cerca de 2500 combatentes pela liberdade» que, entre 1934 e 1974, passaram por aquela cadeia. A organização antifascista adianta que o Forte contará no futuro com um outro monumento, onde estarão gravados, «um a um, todos os nomes dos que, com tanto sofrimento, resistiram corajosamente no longo caminho da luta pela liberdade até à Revolução do 25 de Abril de 1974».

A URAP espera que com a inauguração do monumento, a exposição aberta no segundo piso no bloco C e a colocação do painel com o nome de todos os presos nas paredes da antiga sala do governador, onde no dia 27 de Abril passado se reuniu o Conselho de Ministros, aumente ainda mais o número de visitantes do Forte, que é já hoje «um dos locais mais visitados do País». Assim que esteja a funcionar o museu nacional da resistência e o centro interpretativo da velha fortaleza, sê-lo-á ainda mais, espera a URAP.