“A lei e a Constituição não permitem que a Altice faça o que está a fazer, mas não basta aplicar multas que são automaticamente transformadas em custo de contabilidade.”

(Rita Rato,
Visão, 3.8.17)

 

“Os que ousem interrogar – seja a catalogação de 'regimes' ou 'rebeldes', a existência de armas químicas, os critérios que conduzam à arrumação na categoria de 'ditadores' ou de 'corruptos', seja as programadas intenções 'libertadoras e humanitárias', a nobreza de 'revoluções coloridas' ou a fabricação de 'dissidentes' –, ou saem da frente ou arriscam-se a ser trucidados.”

(Jorge Cordeiro,
Diário de Notícias, 4.8.17)

 

“A oposição da AIL [Associação dos Inquilinos Lisbonenses] à actual legislação do arrendamento tinha como certo que o resultado da sua aplicação seria exatamente o que se veio a verificar no terreno: despejos, rendas altas, retracção e desconfiança no mercado de arrendamento.”

(Romão Lavadinho,
Público, 4.8.17)

 

“[Em Lisboa] A disponibilidade de fogos para arrendamento permanente diminuiu drasticamente, em contraponto ao aumento acentuado da oferta de alojamento local.”

(João Ferreira,
Jornal Económico, 4.8.17
)

 

“As contribuições para a Segurança Social subiram 7,85% em Julho.”

(Vieira da Silva,
Diário de Notícias, 6.8.17)

 

“O Governo português, ao recusar reconhecer a Assembleia Constituinte da Venezuela que foi eleita no cumprimento da Lei Fundamental do país, está a cometer um acto de ingerência.”

(Alexandre Guerreiro,
Público, 7.8.17)

 

“No caso da CIA e dos seus golpes patrocinados, tragédia e farsa são a face da mesma moeda.”

(António Rodrigues,
i, 7.8.17)

 

“Não seria altura de tratar a floresta como uma questão económica de pessoas comuns e deixar de a tratar como uma questão do Estado?”

(Henrique Pereira dos Santos,
Público, 8.8.17)