Estivadores contra práticas anti-sindicais

A paralisação parcial cumprida entre segunda e terça-feira, 10 e 11, afectou fortemente as operações nos portos abrangidos, informou António Mariano, do Sindicato dos Estivadores. Os trabalhadores contestam práticas anti-sindicais que incluem ameaças, perseguições, discriminações, tentativa de impedimento de participação em plenários, agravadas em alguns portos à medida que o nível de sindicalização nestes foi aumentando.

A Fectrans e a CGTP-IN solidarizaram-se com a luta e atribuem a situação ao facto de «os governos não fazerem funcionar os mecanismos de fiscalização e, por outro lado, manterem leis que desprotegem quem trabalha», caso daquela que desregulamenta o sector permitindo uma maior exploração.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: