Criar emprego para fixar jovens em Cuba

Segundo a Câmara de Cuba, distrito de Beja, duas empresas já se instalaram no Parque Empresarial do concelho, onde investiram 2,5 milhões de euros e prevêem criar cerca de 20 postos de trabalho. Desta forma arrancou a actividade comercial na infra-estrutura, criada em 2012 num investimento da autarquia, de maioria CDU, de 1,9 milhões de euros.

«É um importante “pontapé de saída” para a actividade comercial e a instalação de empresas no parque e um contributo para a criação de emprego no concelho», adiantou, à Lusa, o presidente da Câmara de Cuba, João Português.

De acordo com o município, a primeira empresa que se instalou no parque dedica-se à produção e ao comércio de rações para animais e implicou um investimento de 500 mil euros. A empresa já está a funcionar e tem capacidade para produzir mais de 10 mil toneladas de rações por ano, o que poderá corresponder a um volume de negócios anual superior a 2,3 milhões de euros.

A segunda empresa instalada no parque é uma queijaria que actua há mais de 80 anos e produz queijos de ovelha, nomeadamente Queijo Serpa, de Denominação de Origem Protegida (DOP).

A queijaria, que vende a maioria dos produtos para grandes superfícies comerciais, deslocalizou a sua sede para o Parque Empresarial de Cuba, o que implicou um investimento de dois milhões de euros, disse o eleito do PCP.

Importantes projectos

De acordo com João Português, 24 dos 26 lotes do parque disponíveis para instalação de projectos empresariais já foram alienados a 15 empresas, com os quais o município já assinou contrato definitivo ou contrato promessa de compra e venda.

O autarca contou que vários projectos de empresas interessadas em instalar-se no parque ainda não avançaram no terreno devido ao atraso nos apoios financeiros do novo quadro de fundos comunitários.

«Se não fosse esse atraso, actualmente mais empresas estariam instaladas no parque», disse, referindo que os projectos empresariais que prevêem instalar-se na infra-estrutura poderão criar um total de cerca de 200 postos de trabalho caso se concretizem.

Segundo o autarca, «a perspectiva é de que nos próximos anos se instalem mais empresas e o parque fique lotado e venha a ter um papel preponderante para o desenvolvimento da economia, a criação de emprego e a fixação de jovens» no concelho.

O Parque Empresarial de Cuba, que ocupa oito hectares e está situado na Quinta da Graciosa, na saída da vila em direcção a Ferreira do Alentejo, é composto por 29 lotes, mas só 26, com áreas entre 400 e 1600 metros quadrados, ficaram disponíveis para instalação de empresas.

A criação do parque foi cofinanciada em 85 por cento por fundos comunitários e em 15 por cento por verbas da Câmara de Cuba.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: