Luxúria Canibal acrescenta valor em Braga

Adolfo Luxúria Canibal, vocalista e letrista dos Mão Morta, é o mandatária da Coligação PCP-PEV aos órgãos autárquicos de Braga. Em conferência de imprensa, realizada no dia 6 de Abril, o também jurista prestigiado, ambientalista, activista de muitas causas, destacou a «abertura da candidatura da CDU a todos os cidadãos», reconhecendo que esse foi um sinal que ele próprio quis dar ao aceitar o lugar de mandatário. Luxúria Canibal, pseudónimo artístico de Adolfo Morais de Macedo, lembrou «todos aqueles que se iludiram com a possibilidade de mudança» em 2013, apelando a que, desta vez, encontrem espaço de participação na candidatura da Coligação PCP-PEV.

Carlos Almeida, vereador e candidato à presidência da autarquia, manifestou «enorme satisfação» por aquela incontornável figura da sociedade bracarense e nacional estar «associado» e «empenhado neste compromisso».

«Para a CDU, a aceitação do convite por parte do Adolfo é, desde logo, um sinal de reconhecimento do nosso trabalho e do valor do nosso projecto. É, ademais, um sinal objectivo de que nesta candidatura, não só estamos de coração e braços abertos, como desafiamos todos os que anseiam por uma mudança a sério em Braga a juntar-se a nós», afirmou o candidato.

A escolha de Adolfo Luxúria Canibal foi também justificada pelo seu percurso e pelo que representa. «Adolfo é uma voz independente, sem filiação partidária, mas nunca escondeu o seu compromisso cívico. Das várias expressões artísticas a que se dedica fez palco de intervenção política. Crítico do capitalismo, da exploração e alienação do Homem, elegeu as liberdades cultural e social como causas maiores da sua acção», valorizou Carlos Almeida.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: