Breves
Problemas em Aljustrel

Numa folha informativa distribuída à população de Ervidel, a CDU critica o facto de as obras realizadas na Praça da República daquela freguesia, pela autarquia do PS, estarem a ser feitas com «material do mais grosseiro e do mais barato», ao contrário do que acontece, «e bem», em Messejana e Aljustrel, onde se utiliza «materiais de primeira».

«O problema não se prende apenas com a pobreza dos materiais aplicados, pois há justificados receios de que daquelas obras não resultem vantagens significativas para a Praça, em termos de estética, de funcionalidade, de circulação e de harmonização urbanística com as artérias envolventes. Tudo foi pensado apenas e cegamente em função das eleições», alertam os eleitos e activistas da Coligação PCP-PEV.


Conferência no Clube Estefânia

O Clube Estefânia e a editora Página a Página realizam hoje, 20 de Abril, às 18 horas, na sede do clube, uma conferência sob o título «As origens do capitalismo, a Revolução Francesa e a Nova Ordem Burguesa» com o Professor António Avelãs Nunes, a propósito da apresentação do seu livro «A Revolução Francesa na história do capitalismo».


Grandes superfícies

Segundo a Associação Distrital dos Agricultores de Coimbra (ADACO), os produtores ficam apenas, em média, com 20 por cento daquilo que os consumidores pagam pelos bens alimentares.

Reunidos no dia 25 de Março, em Ferreira-a-Nova, Figueira da Foz, os agricultores fizeram as contas e deram a conhecer que «por cada 100 euros que o consumidor paga no hipermercado o agricultor apenas recebe 20 euros».

Os agricultores reclamaram do Ministério da Agricultura «condições para o aumento dos preços na produção nacional e para conter as importações desnecessárias», assim como «baixos preços pagos na madeira à produção» (cerca de 30 euros/m3) e maior «prevenção no combate aos fogos florestais».


Balcão da CGD

No dia 12, várias centenas de pessoas manifestaram-se em Almeida contra a decisão do encerramento, no próximo dia 27, do balcão local da Caixa Geral de Depósitos (CGD). O protesto, dirigido pelos eleitos da CDU na Junta de Freguesia, contou com a presença de Paulo Sá, deputado do PCP na Assembleia da República.


Presta contas

Ao longo dos últimos três anos, Sérgio Sipriano, vereador do PCP na Câmara de Torres Vedras, conduziu uma «firme» e «coerente» oposição à gestão PS, servindo apenas «os interesses das populações, sem populismos e demagogias, apresentando propostas construtivas e concretas».

Num presta contas, publicado no dia 10, a CDU alerta para a «falta de sistema de saneamento em várias localidades» e lembra que foi a única força política «a contestar o pagamento do estacionamento generalizado a toda a cidade».

A Coligação PCP-PEV opôs-se também «aos vários planos de urbanismo de Santa Cruz, Torres Vedras e outros mais pequenos» e censurou «os atrasos dos apoios às colectividades».


Voz interventiva

João Paulo Corvelo, deputado do PCP no Parlamento dos Açores, confrontou o Governo Regional, no dia 29 de Março, com o mau estado da Estrada Regional na costa Norte da ilha de São Jorge e exigiu explicações sobre quando pretende o Executivo PS dar início aos indispensáveis trabalhos de manutenção no pavimento e reposição da sinalização nesta via.

No dia 5 de Abril, João Paulo Corvelo questionou novamente o Executivo do PS, desta vez sobre vários problemas que se colocam relativamente aos transportes aéreos, em particular nas ligações inter-ilhas. O PCP tem denunciado a recorrente falta de lugares disponíveis nestas ligações, que se torna avassaladora durante os meses de Verão, criando problemas graves aos açorianos e limitando o desenvolvimento do turismo na maior parte das ilhas. O deputado interrogou ainda sobre a política de favorecimento às viagens que obrigam a pernoitas nas ilhas de São Miguel ou Terceira.

Dois dias depois, 7 de Abril, João Paulo Corvelo apresentou um requerimento para dar conta da situação dos agricultores das Flores que esperam há mais de três meses por respostas aos seus pedidos de autorização para realizar correcções de desníveis nos seus terrenos particulares. «É inaceitável que os interesses dos cidadãos, proprietários agrícolas neste caso, sejam prejudicados por razões de natureza inteiramente burocrática», sublinhou.


Atentados ambientais

A CDU realizou, dia 8, na Feira de Nelas, a iniciativa «Gota de água – pela preservação dos recursos hídricos», para alertar a população para as debilidades no tratamento das águas residuais e a respectiva inércia da Câmara de Nelas em resolver os vários atentados ambientais que resultam do péssimo ou inexistente tratamento dos efluentes.

Nesta acção, a Coligação PCP-PEV expôs um conjunto de fotografias, tiradas durante várias visitas pelo concelho a rios e ribeiras, ETAR, fossas e rupturas de saneamento, que mostram problemas de poluição das águas.


Piscina Municipal

Em comunicado divulgado no dia 7 de Abril, a CDU exige o regresso da Piscina Municipal da Penha de França, Lisboa, à gestão municipal, de onde nunca devia ter saído.

Recorde-se que este equipamento municipal foi encerrado no dia 1 de Janeiro de 2011 para a realização de obras de requalificação, mantendo-se desactivada desde então, com prejuízo para a população, nomeadamente para crianças e idosos. A autarquia, numa clara atitude de demissão das suas responsabilidades, enveredou pela entrega das piscinas e da sua recuperação à Junta de Freguesia da Penha de França e à Associação Centro Cultural e Desportivo Estrelas de S. João de Brito, ficando a cargo desta última a responsabilidade de execução das obras que permitissem a reabertura da piscina.

Como antecipou a CDU, esta decisão, da inteira responsabilidade do PS na autarquia e na Junta de Freguesia, «não poderia resultar», estando agora criado «um problema de desentendimentos» em que a responsabilidade é «empurrada de uma entidade para a outra», privando a população de um equipamento «tão importante» para a saúde e actividade física.


Resolver problemas

Na última reunião da Câmara Municipal de Lisboa (CML), realizada dia 13, os vereadores do PCP apresentaram uma moção sobre «Estacionamento e conservação do Centro Histórico de Carnide». O documento foi chumbado com os votos a favor do PCP e do CDS.

Por iniciativa dos comunistas, foi aprovada, com a abstenção do PSD e do CDS, uma moção sobre «as políticas municipais no domínio da promoção de habitação a preços acessíveis».