A troca de experiências facilita novos avanços
Reunião de quadros da OR Braga
Debater para reforçar

A organização regional de Braga do PCP realizou recentemente uma reunião de quadros, na qual se definiu prioridades e linhas de intervenção.

Image 22207

Perto de uma centena de quadros comunistas das diversas frentes de actividade do Partido e dos vários concelhos do distrito de Braga encheram por completo o auditório da Junta de Freguesia da Sé, numa tarde onde nem o mau tempo impediu a viva troca de experiências. Foram dezenas as intervenções que marcaram a reunião, dando nota da actividade em cada concelho, das dificuldades sentidas em cada organização e das prioridades já traçadas ou das necessidades a que o Partido deve dar resposta de forma mais organizada.

Desde o reforço das várias organizações concelhias – quer através do recrutamento, da responsabilização de mais quadros ou de uma maior regularidade de funcionamento dos seus organismos – à necessidade de intervir mais nas empresas e nos locais de trabalho, bem como em sectores como a educação ou a saúde, os comunistas traçaram, no essencial, as principais linhas para o trabalho partidário durante este ano de 2017.

Dos vários contributos sobressaem algumas tarefas como centrais para a Organização Regional de Braga: o reforço do Partido a todos os níveis; a campanha nacional contra a precariedade; as comemorações do centenário da Revolução de Outubro, a realizar durante todo o ano; a Festa do Avante!; a campanha de fundos para custear a aquisição do novo Centro de Trabalho regional; o reforço da independência financeira do Partido; o centenário do nascimento do destacado comunista bracarense Lino Lima, que se assinala este mês em Vila Nova de Famalicão; e as eleições autárquicas.

Conscientes da exigência do «caderno de encargos» para este ano, os presentes deixaram, ao longo do encontro, pistas para procurar resolver as dificuldades sentidas pelas várias organizações, bem como para avançar na intervenção do Partido em todas as frentes. Destaca foi ainda a importância de articulação de todas elas, aproveitando cada uma para fortalecer e ajudar na outra.

Autárquicas são «batalha prioritária»

Na reunião de quadros de Braga foi aprovada uma moção sobre as eleições autárquicas deste ano, que o PCP travará em todo o território nacional no quadro da Coligação Democrática Unitária, da qual fazem parte o PEV, a Associação Intervenção Democrática e muitos independentes. Na moção, os comunistas do distrito de Braga assumem estas eleições como uma «batalha prioritária» a exigir o «empenhamento de todos e de cada um».

A organização regional assume que trabalhará para «cumprir o objectivo de concorrer a todos os órgãos municipais e a mais freguesias do que nas últimas eleições» e que realizará «acções de prestação de contas às populações e de valorização do trabalho realizado pela CDU». Na iniciativa política e eleitoral, os comunistas procurarão denunciar junto das populações a ofensiva legislativa imposta ao poder local e, ao mesmo tempo, dar a conhecer as propostas alternativas do Partido e o modelo autárquico que este defende.

Apelar à participação e envolvimento das populações na construção de propostas programáticas, reafirmar a necessidade de defender o poder local democrático, animar a luta pela reversão do processo que liquidou milhares de freguesias são outros dos temas que os comunistas colocarão na campanha eleitoral. Quanto aos objectivos concretos a atingir nas eleições, o PCP pretende, nas freguesias, «confirmar as posições de maioria» e «disputar e alcançar novas posições», ao mesmo tempo que espera conquistar novas posições nas vereações e ampliar a presença em órgãos deliberativos.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: