Jornadas de trabalho dão forma à Festa
Mãos que constróem sonhos

Muitos militantes e simpatizantes do Partido, da JCP e amigos da Festa estiveram no passado fim-de-semana a construir a 40.ª edição da Festa do Avante! em mais mais uma concorrida e produtiva jornada de trabalho. Até 2 de Setembro, há ainda muito trabalho pela frente, mas a dedicação dos construtores é bastante para levar até ao fim todas as tarefas, por mais exigentes e complexas que se apresentem.

Image 20982

A Festa do Avante! é uma iniciativa ímpar a nível nacional e é-o a todos os níveis: no ambiente fraterno que a caracteriza desde a primeira edição, em 1976; na programação cultural diversificada e multifacetada que sempre marca o seu cartaz; no destaque que dá em todas as edições ao debate, à ciência, ao desporto, à literatura, ao teatro, ao cinema; no que representa de solidariedade com a luta dos trabalhadores e dos povos pela soberania, o progresso e a paz, contra o imperialismo e a guerra; na sua íntima ligação com o projecto de democracia e socialismo do seu Partido Comunista Português.

Também a forma como a Festa do Avante! é construída e divulgada e como é assegurado o seu funcionamento não encontra paralelo em qualquer outra realização no País (e será preciso procurar muito para encontrar algo de parecido no mundo). Do primeiro tubo ao último retoque, é o trabalho dedicado de muitos milhares de militantes e amigos do Partido que torna possível tamanha realização. Este trabalho, duro como qualquer outro, é assumido com satisfação e realizado com alegria, pois é empolgante o objectivo que o motiva.

No último fim-de-semana, como noutros, vimos valas a dar lugar a estradas, pavilhões a nascer do que antes fora um monte de tubos de andaime, as placas de madeira a dar forma a paredes, verdadeiras obras de arte a servir de decoração dos vários espaços. E ouvimos os ruídos, muitos, dos martelos, dos carros, das serras, das chaves, das vozes de «comando»: «Sobe! Aperta! Prega!» – e dos risos, tantos risos... Para os construtores da Festa, a Festa já começou há muito e é feita de esforço, de empenho e de método, mas também de fortes laços de camaradagem e amizade, daqueles que se forjam no cumprimento conjunto de tarefas exigentes e tantas vezes emocionantes. E, claro, no são e fraterno convívio que sempre marca os fins-de-semana das jornadas de trabalho.

No dia 2 de Setembro ao final da tarde, os portões da 40.ª Festa abrir-se-ão para receber muitos milhares de pessoas, ávidas de ver e viver a Festa. Nessa altura, os rostos dos construtores transbordarão de emoção e alegria e de alguns olhos cairão lágrimas, daquelas que revelam satisfação pelo dever cumprido e um imenso orgulho em fazer parte de um colectivo generoso e combativo, capaz de realizar o que parecia impossível – hoje, a Festa do Avante!, num qualquer amanhã a sociedade sem exploradores nem explorados por que se bate o PCP e que tem na Festa uma pequena mas significativa amostra.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: