Plenário de CT põe luta no voto

«Vamos esclarecer, vamos lutar, vamos levar a luta ao voto», para que nas próximas eleições pese «o contributo de todos os trabalhadores para travar a política de direita e rasgar horizontes para política alternativa e de esquerda», afirma-se na resolução que os participantes no plenário nacional de comissões de trabalhadores aprovaram por unanimidade, em Coimbra, no dia 19.

No principal documento saído do plenário, aponta-se «quase 40 anos de políticas conduzidas pelo PS e PSD, sozinhos ou acompanhados pelo CDS-PP» como responsáveis pela «preocupante situação em que o País se encontra, quer no plano económico, político e social, da soberania nacional, dos valores e princípios democráticos», com «sucessivos e grosseiros atropelos aos princípios constitucionais e outras leis da República».

Valorizando as lutas travadas nas empresas e nas ruas pelos trabalhadores, sem as quais Portugal e os portugueses estariam hoje «numa situação bem mais complexa», insiste-se que «só resistindo, lutando, condicionaremos a concretização dos interesses dos nossos inimigos de classe».

O plenário, que reuniu duas centenas de membros de 51 comissões e sub-comissões de trabalhadores, foi promovido pelas comissões coordenadoras das CT dos distritos de Braga, Porto, Lisboa e Setúbal, sob o lema «Travar esta política, valorizar o trabalho e os trabalhadores, levar a luta ao voto».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: