Japoneses encaram como inviável uma alternativa ao PLD
Eleições antecipadas no Japão
PLD lidera sondagens

O Partido Liberal Democrata (PLD) lidera as intenções de voto nas eleições marcadas para 14 de Dezembro no Japão, revelam as sondagens divulgadas esta segunda-feira pelo diário Nikkei e pela Tokio TV.

De acordo com o jornal nipónico, trinta e cinco em cada 100 eleitores preferem o primeiro-ministro

Shinzo Abe, apesar das crescentes críticas à política económica do seu governo.

Ao anunciar, na passada sexta-feira, 21, a realização de eleições antecipadas – ao fim de dois dos quatro anos de mandato – , Abe disse que o seu objectivo era transformar o escrutínio num referendo ao programa económico que tem vindo a aplicar e se propõe aprofundar. Entre outros aspectos, em causa está um novo aumento de impostos sobre o consumo, que em Abril último subiram de cinco para oito por cento e deverão elevar-se em breve para dez por cento.

A acentuada queda de popularidade do primeiro-ministro, que atingiu um recorde histórico de 39 por cento de desaprovação, levou o governante a prometer o adiamento da nova subida de impostos para 2017, o que segundo a sondagem agradou a 51 por cento dos inquiridos, contra 36 por cento que continuam pessimistas. As reformas que têm vindo a ser implementadas apenas recolhem o apoio de 16 por cento da população, que diz sentir o impacto da recuperação económica, contra 75 por cento dos que não vêem qualquer melhoria na situação.

Entretanto, 44 por cento diz esperar que a política económica de Abe se traduza numa melhoria dos salários, enquanto 49 por cento não acreditam nessa possibilidade.

A fazer fé nas sondagens, os japoneses encaram como inviável uma alternativa ao PLD: o Partido Democrático (PDJ) recolhe nove por cento das intenções de voto; o Partido da Inovação do Japão, o Komeito e Partido Comunista Japonês têm três por cento cada, e os partidos Vida do Povo e Social Democrata apenas um por cento.

Bastante significativa é a percentagem dos eleitores indecisos: 45 por cento.

Outra consulta, realizada no passado fim-de-semana pelo jornal Asahi Shimbun, indica que 37 por cento dos eleitores pensa votar no PLD, enquanto 11 por cento diz ir optar pelo PDJ, refere a Prensa Latina. Ainda segundo a agência noticiosa, alguns especialistas são de opinião que Shinzo Abe recorreu às eleições antecipadas para se consolidar no cargo, uma vez que as divisões internas podem ameaçar a sua liderança nas eleições partidárias agendadas para Setembro de 2015.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: