Aconteu
Carlos do Carmo recebe Grammy

Carlos do Carmo recebeu, quarta-feira, 19, o Grammy Latino de Carreira, no Hollywood MGM Theatre, em Las Vegas, nos Estados Unidos, tornando-se o primeiro o artista português a ser distinguido com este galardão pela sua carreira.

A atribuição do Grammy foi decidida por unanimidade do júri em Junho passado, que reconheceu assim a «excecional importância artística» da carreira do cantor.

Na cerimónia, Carlos do Carmo discursou em português, aproveitando para falar do fado como «uma canção de paixão». «Não é possível cantar o fado sem uma profunda paixão. Sem uma profunda dávida do coração. Fala do amor. Da tristeza. Dos sentimentos. Da vida».

No mesmo dia, em Portugal, um conjunto de conhecidos artistas portugueses prestou uma homenagem a Carlos do Carmo, divulgando um emocionante vídeo de «Lisboa Menina e Moça» cantada a 35 vozes.

Em nome do PCP, Jerónimo de Sousa, Secretário-geral do Partido, endereçou a Carlos do Carmo felicitações pela «atribuição do “Lifetime Achivement Grammy”, galardão que distingue e reconhece a dimensão do seu percurso artístico que há 50 anos contribui para afirmar a música e a cultura portuguesas».


Imigrantes na pobreza

Mais de um quarto (28,6 por cento) dos cidadãos estrangeiros residentes em Portugal em 2013 vivia em situação de «privação material severa», de acordo com um relatório divulgado, dia 21, pelo Eurostat.

O relatório do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia sobre inclusão social dos migrantes na UE, referente ao ano de 2013, mostra ainda que Portugal era um dos sete estados-membros onde mais de metade (51,7 por cento) dos cidadãos residentes oriundos de países de fora da UE se encontrava em risco de pobreza ou exclusão social.

Portugal é também dos países onde é mais acentuada a diferença entre os cidadãos nacionais e estrangeiros no que respeita a taxas de risco de pobreza, exclusão social e privação material severa.


Fome ameaça famílias portuguesas

Cerca de um terço das famílias portuguesas afirmam ter alguma dificuldade em garantir alimentação suficiente, enquanto 12 por cento estão numa situação de «insegurança alimentar», que pode implicar fome.

Os resultados constam do inquérito «Estudo de Caracterização da Pobreza e Insegurança Alimentar Doméstica das Famílias com Crianças em Idade Escolar», cujo resumo foi divulgado dia 20.

O estudo, financiado Fundo Social Europeu e pelo Estado português, abrangeu duas mil famílias com crianças.


Cinco mil perdem RSI

Em dois meses, quase cinco mil pessoas perderam o direito a receber o Rendimento Social de Inserção, segundo os dados do Instituto da Segurança Social (ISS) relativos a Outubro, que revela existirem atualmente 206 913 beneficiários. Assim, se neste período, 2086 famílias ficaram sem o rendimento mínimo, comparando o mesmo mês de 2013, um total de 11040 agregados perderam esta prestação social, o que representa uma quebra de 11 por cento. O valor monetário médio por beneficiário em Outubro situou-se nos 91,40 euros e por família em 195,85 euros. Ainda em Outubro, os dados da Segurança social revelaram que foram atribuídas 309 mil prestações de desemprego, deixando sem estes apoios mais de 392 mil desempregados.


Maioria sem acesso à Internet

Cerca de 4,3 mil milhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso à Internet, segundo um relatório de uma agência das Nações Unidas divulgado na segunda-feira, 24.

Apesar do claro aumento da utilização da Internet, estimado em 6,6 por cento para este ano em todo o mundo, as tecnologias de informação não chegam a milhares de milhões, 90 por cento dos quais vivem em países em desenvolvimento, segundo o relatório anual da União Internacional de Telecomunicações (UIT).

Em 2014, segundo o documento, 44 por cento dos lares do mundo tinham acesso à Internet, acima dos 40 por cento registados em 2013 e dos 30 por cento em 2010. Ao todo, cerca de três mil milhões utilizam regularmente a rede mundial.

Mas a distribuição é desigual. Nos países desenvolvidos, 78 por cento dos lares têm acesso à rede, nos países de rendimentos médios e baixos são 31 por cento e nos países mais pobres apenas cinco por cento.


«Chegou a Primavera»

«Chegou a Primavera!» é o novo livro de poemas de Fernando Miguel Bernardes, que conta com ilustrações de João Nuno, e vem na continuidade da já extensa obra do autor, dedicada em particular à literatura infanto-juvenil.

Na presente edição, sob a chancela das edições Mar da Palavra, o autor oferece-nos 24 poemas inspirados nas estações do ano, desde «O sonho de uma noite de Verão», aos meses de Outono, com referências Mahler ou de Lopes-Graça.

No Inverno as castanhas assadas dão o mote e quando desponta a Primavera volta-se a pescar à linha, trata-se da lavoura, das abelhas e do mel, saúda-se a Natureza.



Resumo da Semana
Frases