Vitória no Arsenal do Alfeite

Ao fim de nove anos de batalha jurídica, os trabalhadores do Arsenal do Alfeite viram reconhecida em tribunal, e estando já esgotadas as hipóteses de recurso, a correcção de uma grave ilegalidade e a devolução do dinheiro que lhes fora indevidamente descontado. A notícia foi dada pelo Sindicato dos Trabalhadores Civis das Forças Armadas e Empresas de Defesa, esta segunda-feira, num comunicado em que é feito o balanço da participação na semana de luta.

Na terça-feira, dia 11, refere o Steffas/CGTP-IN, foi realizado um plenário, onde os trabalhadores aprovaram a sua proposta reivindicativa para o corrente ano e decidiram ir entregá-la à sede da Empordef (o consórcio do Estado que detém o capital da sociedade anónima), o que aconteceu ao princípio da tarde de dia 14, sexta-feira. Da Rua Braamcamp, onde a luta foi saudada pela deputada comunista Paula Santos, os trabalhadores seguiram para o Príncipe Real, onde se juntaram à manifestação promovida pela Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública.

O sindicato recorda, no comunicado, que o administrador em funções no ano de 2005 concretizou a ameaça de descontar o dia por inteiro, quando a greve convocada para 15 de Junho era apenas para o período da tarde. A greve acabou por ser uma das que tiveram maior adesão e a verba retirada está já a ser devolvida pelo Ministério da Defesa aos mais de 200 trabalhadores que constavam no processo.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: