Mostrar a força inquebrantável das mulheres
MDM está na rua contra a austeridade
Tempo de luta!

O Movimento Democrático de Mulheres (MDM) estará hoje, quinta-feira, nas ruas de vários pontos do País para denunciar as consequências da política de direita na vida das mulheres e para exigir um novo caminho de desenvolvimento, designadamente de emprego, justiça social e igualdade.

«Vamos escrever na rua uma carta colectiva de mulheres que sonham, que desejam e lutam por um País onde se possa viver com dignidade. Vamos escrever uma carta gigante ao Governo, aos deputados, ao Presidente da República, escrever de todas as formas, com canetas, lápis, pincéis, em papel ou numa manta de retalhos, vamos encher uma tombola com cartões de visita, de quantas queiram dar nome e rosto à luta de mulheres», antecipa, em nota imprensa, o MDM, informando que, no dia 8 de Novembro, terão lugar acções em Aveiro, Viseu, Lisboa, Faro, Braga e Porto. No dia 13, terça-feira, a «voz» do MDM estará na RTP1, com um Tempo de Antena antes do Telejornal.

Estas são iniciativas onde se vai reclamar, «por nós, pelos nossos filhos, pelos nossos netos», o direito ao emprego, salário igual a trabalho igual, direito aos subsídios de desemprego, de parentalidade e maternidade/paternidade, o direito ao salário e subsídios de férias e de Natal, o «fim desta austeridade que chegou ao limite do sustentável, para dar de comer aos filhos e aguentar os sucessivos aumentos de bens e impostos».

O MDM vai ainda estar «na rua» para «mostrar a força inquebrantável das mulheres». «Temos vindo a dizer e reafirmamos que o espaço das mulheres é na luta e nas ruas. O tempo de luta das mulheres é hoje e agora. Não se pode calar mais sofrimento, a injustiça, a incompetência, as criminosas opções políticas que destroem o País e hipotecam o futuro de todas e todos», acentua o Movimento.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: