Breves
México

Quase metade da população é pobre, afirma um relatório elaborado pelo Conselho Nacional de Avaliação da Política de Desenvolvimento Social (Coneval). Só entre 2008 e 2010, o total de pessoas naquela situação aumentou de 48 milhões e 800 mil para 52 milhões.

O organismo atribui o facto às consequências da crise capitalista mundial, particularmente aos aumentos dos alimentos, responsáveis, diz, pelo crescimento do número de miseráveis no país em mais 3 milhões e 200 mil pessoas.

Veracruz, Guanajuato, Chihuahua, Oaxaca e Baixa Califórnia foram as regiões que registaram os maiores aumentos, revelou ainda o Coneval, que estima que, entre os considerados, quase 12 milhões sejam indigentes, enquanto que outros 28 milhões têm extremas dificuldades para se alimentarem.


Jordânia

Milhares de pessoas pediram reformas no país e acusaram os responsáveis do regime de matarem o povo à fome enquanto roubam milhares de dinares. Corrupção, interferência nos meios de comunicação social e perseguição do povo por parte dos serviços secretos foram igualmente denunciadas como práticas instaladas.

No protesto, realizado sexta-feira, 29 de Julho, na capital jordana, Amã, os participantes sublinharam ainda que, «até agora, nenhuma das nossas exigências foi satisfeita» e reiteraram a urgência de mudanças políticas e económicas profundas.


Cuba

de Julho, levou a Cuba 131 pessoas de 19 países no âmbito de um programa de trabalho voluntário.

Em plenário realizado no final das jornadas, os brigadistas aprovaram uma declaração na qual condenam o bloqueio imposto pelos EUA e exigem o seu imediato levantamento, apoiam o direito do povo cubano à independência e soberania, e o seu direito a construir uma sociedade socialista, e rejeitam a posição comum assumida pelos países da UE face a Cuba.

No texto, os participantes exigem igualmente a retirada norte-americana de Guantanamo, o fim da política dúplice relativamente ao terrorismo internacional, e a libertação imediata dos Cinco patriotas cubanos detidos ilegalmente nos EUA.