Vigília em vésperas de greve

Cerca de trezentos representantes do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local cumpriram, na semana passada, uma vigília de cinco dias junto à residência oficial do primeiro-ministro, contra «intromissões ilegais» do Governo nas competências autárquicas, e prepararam a greve nacional no sector, com os mesmos objectivos, agendada para dia 20.

O STAL/CGTP-IN convocou a vigília para alertar «contra o autoritarismo governamental». No protesto participaram representantes sindicais de todas as regiões, onde prossegue o trabalho de mobilização dos trabalhadores das autarquias para a greve no sector e a jornada nacional de luta, dia 29.

No último dia da acção, entregaram uma carta na residência oficial de José Sócrates, condenando a política do Governo e as intromissões ilegais e inconstitucionais na esfera da Administração Local e lesivas dos interesses dos trabalhadores, respeitantes «à chantagem que vem sendo exercida sobre as decisões das autarquias em torno da “opção gestionária”» e da contratação colectiva.

Reivindicando a regularização das situações de trabalho precário e o fim das políticas injustas e economicistas do Governo PS, o STAL também reclamou «o fim imediato de toda e qualquer ingerência na autonomia do poder local e o cabal reconhecimento dos direitos de evolução profissional, através da “opção gestionária”» com a consequente «revogação de interpretações abusivas, cerceadoras desse direito».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: