Breves
VIANA DO CASTELO
Porto de Mar

A Direcção da Organização Regional de Viana do Castelo do PCP exige mais informação sobre os contornos do processo de construção dos novos acessos rodo-ferroviários ao porto de mar de Viana, depois de, há dias, ter sido decretada a utilidade pública dos terrenos a expropriar para a construção dos acessos rodoviários.

O PCP de Darque, para quem a ampliação do porto do mar constitui «uma respeitável aspiração», condena entretanto o «silêncio» que a Câmara Municipal de Viana do Castelo e a Junta de Freguesia de Darque têm mantido até ao momento sobre esta matéria, designadamente o facto de o presidente da autarquia continuar sem responder ao pedido de audiência por si solicitada. Motivo de condenação é ainda para o PCP o facto de a Junta de Freguesia de Darque se ter furtado a discutir esta questão em Assembleia de Freguesia e recusado a criação de uma Comissão de Acompanhamento do processo de modernização do Porto de Mar de Viana.


BRAGA
Desnorte da ARS Norte

A ARS Norte colocou, em 2005, no Hospital de São Marcos, em Braga, médicos especialistas de nefrologia, reumatologia e imuno-alergologia, especialidades que passaram a ser postas ao serviço dos utentes do Hospital como prova o número de consultas realizadas em cada uma destas especialidades Aliás, no contrato de gestão assinado entre o Governo, representado pela ARS Norte, e o Grupo Escala Braga está prevista a existência destas especialidades no novo Hospital.

A Direcção da Organização Regional de Braga do PCP diz, assim, não se entender como é possível que a ARS Norte, que introduziu afinal estas especialidades no Hospital de São Marcos, tenha agora assinado um contrato com o Grupo Escala Braga, que prevê a suspensão do seu funcionamento durante o período de transição até à ida para o novo Hospital.

Questionada por um deputado do PCP, a ministra da Saúde diz ter sido encontrada «uma solução que colmata as lacunas do período de transição» mas, nesse caso, porque é que o Grupo Escala Braga não torna público o número de pedidos de consultas daquelas especialidades que aguardam marcação?», pergunta o PCP.

 


ALMADA
Murais do PCP

Os murais pintados pelo PCP em vários locais do Concelho de Almada estão a ser sucessivamente vandalizados e destruídos. Indignada, a Comissão Concelhia de Almada do PCP garante que os comunistas não se deixarão intimidar por estas acções «cobardes e antidemocráticas», devendo portanto «desenganar-se» os que pensam que com tais atentados à liberdade e aos direitos democráticos conseguem impedir o PCP de prosseguir a sua luta pela ruptura com a política de direita e pela mudança de que o País necessita. Aliás, a intimidação, não só não resulta com o PCP como lhe dá mais força para prosseguir o seu combate pela democracia avançada e pelo socialismo, razão por que os murais destruídos vão voltar a ser pintados, a eles se somando outros novos, garante a Concelhia do PCP.