«O PS boicotou a regionalização nesta legislatura»
Saúde e regionalização, em concreto
Compromisso claro em Évora
Os candidatos da CDU às eleições legislativas assumem posições claras e compromissos firmes, desafiando as demais forças políticas a fazerem o mesmo.
Após reuniões com representantes de utentes de Saúde, de bombeiros, de autarcas e de empresários, a candidatura da CDU pelo distrito de Évora reafirmou as suas posições sobre as áreas da saúde, da protecção civil e da regionalização.
A par de uma nova política de Saúde, reclamada pela CDU para o País, os candidatos eborenses defendem que é urgente, para a população do distrito, investir na melhoria dos centros de saúde e suas extensões, revertendo os encerramentos realizados pelo Governo do PS e adequando o funcionamento daqueles serviços às necessidades das populações. A construção do novo hospital central de Évora continua a ser encarada pela CDU como uma decisão fundamental para a melhoria dos cuidados de saúde. Às restantes forças políticas, a coligação PCP-PEV deixa o desafio de clarificarem a sua posição quanto a esta matéria, em concreto, e assumirem o compromisso de realizar a obra.
A clarificação do papel do Estado e a assumpção das responsabilidades públicas em matéria de protecção civil e de financiamento dos corpos de bombeiros (incluindo a revisão do estatuto social do bombeiro e a justa regulamentação do estatuto laboral, carreiras e vencimentos dos trabalhadores das associações de bombeiros voluntários) continua a ser um objectivo da CDU.
As reuniões de candidatos da coligação com as comissões de utentes de Montemor-o-Novo e de Vendas Novas, e com a Federação de Bombeiros do Distrito de Évora, na sexta-feira, fizeram parte do programa de um dia dedicado à Saúde.
Na segunda-feira, dedicada à Regionalização, os candidatos da CDU reuniram com a Associação de Municípios do Distrito de Évora, a Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo e o Núcleo Empresarial da Região Alentejo. Nestes encontros foi confirmada a necessidade da instituição em concreto das regiões administrativas, como instrumento fundamental para o desenvolvimento do Alentejo.
A CDU acusa o PS ter boicotado a regionalização, ao longo dos últimos quatro anos e meio, adiando a sua resolução para a próxima legislatura. Além de reafirmar o seu compromisso com o cumprimento da Constituição e a instituição em concreto das regiões administrativas, a CDU propõe que o Alentejo seja rapidamente uma região-piloto, dado o consenso que existe quanto à sua criação.

CDU reivindica escola pública

Prosseguindo as acções da pré-campanha para a Assembleia da República, a CDU realizou, há dias, mais uma iniciativa de contacto e esclarecimento, desta vez dedicadas às questões da educação.
Assim, os candidatos da Coligação pelo distrito de Évora reuniram com o Sindicato dos Professores da Zona Sul, com a Federação de Associações de País do Distrito de Évora e com a Reitoria da Universidade de Évora, de quem recolheram importantes contributos para a avaliação das consequências que teve para o distrito a política educativa do Governo PS.
Nestes encontros foram apontadas algumas preocupações, nomeadamente o «encerramento de escolas primárias», a «transferência de competências do Governo para as autarquias», o «aumento do desemprego de professores e da instabilidade da sua situação profissional», a «degradação da carreira docente», o «aumento dos custos suportados pelas famílias com a educação», a «falta de meios nas escolas para responder às situações de insucesso, abandono e violência escolar», bem como os «estrangulamentos financeiros impostos à Universidade de Évora».
O desinvestimento na educação, que marcou a actuação deste Governo, foi, de igual forma, identificado como particularmente prejudicial para as regiões mais frágeis do ponto de vista económico e demográfico, como é o caso do distrito de Évora.
«É fundamental para o desenvolvimento do nosso distrito o investimento público na construção de novos equipamentos escolares e na melhoria dos existentes, particularmente nas zonas rurais», defende a CDU, que exige a «dignificação das carreiras docentes», o «reforço da Acção Social Escolar», a «gratuitidade dos manuais e do material escolar», o «fim do sub-financiamento da Universidade e a sua discriminação positiva considerando as especificidades da região em que se insere».


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: