Breves
Paquistão
Musharaf sai de cena
O presidente do Paquistão, Pervez Musharaf, renunciou, segunda-feira, ao cargo que ocupava há nove anos na sequência do golpe militar que derrubou o então titular Nawaz Sharif. A decisão foi motivo de festa entre a povo e as principais forças políticas da oposição, as quais desde Fevereiro mantinham uma disputa com o até agora chefe de Estado.
A demissão ocorreu na véspera de uma sessão parlamentar na qual Musharaf seria sujeito a estreita avaliação pelos deputados, nomeadamente quanto às acusações de corrupção, abuso de poder e conspiração para cometer homicídio.

Nepal
Prachandra lidera governo
A Assembleia Constituinte do Nepal elegeu, sábado, o líder do Partido Comunista do Nepal (maoista) para a chefia do novo governo do país.
Prachandra recolheu uma esmagadora maioria de votos favoráveis, 464 num total de 577, derrotando o ex-primeiro-ministro Bahadur Deuba, candidato do Partido do Congresso, formação que expressou grande preocupação com a eleição de Prachandra, e parece conviver melhor com o anterior regime monárquico constitucional.
A chegada de Prachandra e do PCN(m) culmina décadas de luta política e insurreição armada contra o absolutismo e pela democratização do Nepal. Só o actual líder do executivo, acumula 25 anos na clandestinidade.

Afeganistão
EUA sob fogo
A base militar norte-americana de Camp Salerno, na cidade de Khost, no Afeganistão, a 30 quilómetros da fronteira com o vizinho Paquistão, foi, segunda e terça-feira, alvo de fogo cerrado por parte de grupos armados.
De acordo com informações oficiais divulgadas pelo comando da ISAF/NATO, os ataques dos insurgentes, munidos de lança roquetes e morteiros, provocaram mais de 40 mortos e feridos.
Ainda na terça-feira, 10 militares franceses morreram e mais de 20 ficaram feridos numa emboscada na região de Sarubi, a cerca de 50 quilómetros da capital, Cabul.